O desafio de educar e formar

Quem não se lembra do primeiro professor na escola? Alguém que nos ofertou os primeiros passos na leitura e nas demais disciplinas que hoje nos proporcionam o conhecimento no cotidiano. Muitas das escolas voltam a receber seus alunos hoje, dia 7, de forma opcional.

É válido lembrar que, neste período de pandemia, iniciado em março, alguns dos profissionais se adequaram aos novos tempos, promovendo aulas online e até mesmo se reinventaram e foram lecionar ao ar livre para que as crianças não ficassem sem acesso aos estudos. Sempre com os cuidados de distanciamento a fim de evitar o coronavírus.

O Dia do Professor é dia 15 de outubro, mas a data especial serve para lembrarmos como foi o trabalho desta categoria ao longo dos meses e que segue até os dias atuais. Os professores sempre fizeram a diferença na vida de todos.

Com o intuito de formar uma geração pronta para desafios futuros, os professores precisam ser valorizados e respeitados. Quando estive na ativa, na Polícia Militar, dei aula para alunos que estavam seguindo a mesma carreira.

Também fui professor em faculdades e sei da grata satisfação de poder passar ensinamentos para os jovens e até mesmo aos adultos que se propõem a novos desafios, até mesmo por exigência e atualização dos cargos que ocupam.

Recordo com orgulho os meus tempos de escola pública, de Ferraz de Vasconcelos, onde estudei, depois no Expedicionário Brasileiro e na Escola Estadual Doutor Octavio Mendes (Cedom), esses dois na zona norte da capital. Todo ensinamento me fez chegar à carreira militar e até hoje ele é utilizado.

Na PM, temos os colégios da Polícia Militar em diversas cidades do Estado de São Paulo e são com toda certeza procurados pelas famílias. Muitos confundem e distorcem a rotina dessas unidades, atrelando atos que remetem à ditadura, o que não é real. Cantar o hino e respeitar o colega ao lado são atitudes de cidadãos de zelo e respeito.

São valores que não podem se perder, especialmente neste momento que passamos, de grave crise na saúde, onde muitos amigos deixaram de ser ver e o contato com outros colegas nas escolas acabou suspenso. Precisamos incentivar os jovens a ter ordem e disciplina e fazerem a coisa certa.

Trabalhar forte na educação logo nos primeiros anos de vida escolar pode contribuir na solução de muitos problemas sociais que a cidade e até mesmo o país enfrentam.

Prezo muito a questão do incentivo ao estudo e creio que internalizar valores nas crianças e nos adolescentes é uma forma de destacar a importância da nossa família, do respeito ao próximo e do dever de cidadão. 

Coronel Alvaro B. Camilo