Educação oferece diferentes modalidades para jovens e adultos voltarem a estudar

Da Redação

Os motivos para abandonar os estudos podem até ser diversos e particulares, mas o que todos sabem é que nunca é tarde para voltar a estudar. O Governo do Estado de São Paulo, dessa forma, oferece diferentes opções para jovens e adultos que desejam retomar os estudos e voltar às salas de aulas.

Aqueles que não tiveram a oportunidade de iniciar ou concluir os ensinos Fundamental ou Médio na idade adequada, de acordo com a legislação, podem ter acesso a essas etapas da escolaridade por meio de cursos e avaliações em diferentes modalidades.

Entre elas, a Educação de Jovens e Adultos (EJA), que permite que o aluno conclua o Ensino Fundamental e o Médio através de aulas presenciais. Para ingressar, é necessário ter 15 anos para o Fundamental e 18 para o Médio.

Os módulos de seis meses cada são equivalentes aos anos e séries do ensino regular. O curso conta com quatro horas diárias, de segunda à sexta-feira. Atualmente, cerca de mais de mil escolas estaduais paulistas oferecem as aulas da EJA.

O Estado, por meio da Secretaria da Educação, também oferece 31 unidades do CEEJA (Centros Estaduais de Educação de Jovens e Adultos). O diferencial do modelo é que ele oferece carga horária flexível e aulas a distância.

Neste módulo, o aluno recebe o material de ensino no ato da matrícula e é orientado a criar um plano de estudos. Caso sinta necessidade, ele pode recorrer ao centro para tirar dúvidas presenciais com professores.

Mudança de vida

A aluna Luiza Yara foi uma das pessoas que decidiram voltar às salas de aula em busca de novas oportunidades. Entre tantas dificuldades, a aluna conta que nunca perdeu a vontade de retomar os estudos.

“Eu tinha muita vontade de estudar, mas tinha apenas 10 anos de idade e não podia sair da minha cidade, chamada Bastos, interior de São Paulo. Meu pai tinha dificuldade de me levar para a escola. Sendo assim, fiquei sem estudar”, explica.

Seja através do EJA ou do CEEJA, muitos paulistas já puderam ver as portas se abrirem para novas conquista, sobretudo, no Ensino Superior. A história de Kátia Giovana Lima serve de inspiração para muita gente que deixou os estudos.

Kátia abandonou a sala de aula ainda jovem e resolveu voltar aos 26 anos de idade para a escola através da EJA. Depois de muito foco e esforço, prestou vestibular e passou a cursar Letras na Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, é mestra e professora de Língua Portuguesa da E.E. Carlos Maximiliano Pereira dos Santos, na capital paulista.

“A minha irmã (também empregada doméstica) tinha uma patroa que sempre falava: ‘fala para a sua irmã desistir. Ela não vai entrar na USP’”, conta Kátia. “Hoje, eu luto para que os meus alunos terminem os estudos no tempo certo”, finaliza.

Imagem: Freepik