Causos e Causas com Alexandre Cadeu: Essa família dá o que falar…

O que foi pior nesta semana, o vídeo do leão enfrentado hienas postado pelo presidente Bolsonaro ou seu descontrole frente ao noticiário da TV Globo revelando o ingresso do principal suspeito de matar a vereadora Marielle Franco no condomínio onde ele reside na Barra da Tijuca (RJ), ou ainda o blefe de seu filho, Eduardo, quanto a volta do AI-5 para calar a esquerda brasileira?

Compostura emocional e traquejo político sabemos que o presidente não tem mesmo, lhe falta a mínima habilidade para lidar com os revezes, mas penso que não deveria se servir das redes sociais para atacar os inimigos imaginários que carrega em seu cotidiano, lembrando que o STF e a OAB são instituições democráticas garantidas pela Constituição Federal, igualmente é a liberdade de imprensa, todos atacados pelo vídeo do leãozinho e sob o qual teve que pedir desculpas pelo “erro” cometido, erro que sucedeu ao esbravejar palavrões e grosserias contra a TV Globo, a quem acusa de o perseguir, e contra o Governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel, a quem imputa o vazamento de informações do processo sigiloso de Mariele.

As reações aos impropérios presidenciais não foram as melhores, tendo o ministro Celso de Mello (STF) respondido duramente quanto ao vídeo do leão e das hienas, afirmando que o atrevimento presidencial parece não encontrar limites na compostura do cargo e que somente com visão absurda e grosseira o presidente identifica a Suprema Corte como um de seus opositores.

Por sua vez, como a intenção da família presencial é estar em evidência, no topo da mídia, o filho e deputado federal Eduardo Bolsonaro afirmou que a esquerda poderia ser combatida por um novo AI-5, no que foi sumariamente confrontado até mesmo pai que disse que “quem fala em AI-5 está sonhando”, sendo repudiado por outras autoridades, como o presidente do Senado, David Alcolumbre, para quem a fala foi uma incitação antidemocrática e uma afronta à Constituição, ainda recebendo do  presidente da Câmara, Rodrigo Maia, uma dura advertência no sentido que cabe punição e que tais manifestações são repugnantes do ponto de vista democrático e devem ser repelidas com toda indignação pelas instituições brasileiras.

Ao que parece, o meio político se estarrece de vez e, desta vez, tende a reprimir severamente as aberrações verborrágicas dos Bolsonaros, tendo o líder da oposição na Câmara afirmado que apresentará pedido de cassação do mandato de Eduardo por ter defendido o Ato Institucional n. 5, o qual contraria todos os preceitos da Constituição a qual o deputado eleito por São Paulo jurou defender.

Mas como miséria pouca é bobagem, o próprio presidente Jair Bolsonaro pode ser alvo de processo de impeachment, uma vez que ao acionar o Ministro da Justiça Sérgio Moro a intervir no caso Marielle, ouvindo o porteiro de seu condomínio, estaria incorrendo em crime de responsabilidade, pois estaria utilizando instituições públicas, como a Polícia Federal, para fins de sua defesa privada.

Verdade seja dita: nunca o brasileiro se fartou de tanta conversa política como nos dias atuais, onde a família presidencial (que fala pelos cotovelos) estimula a atuação do jornalismo, convidando a sociedade a visitar a história de nossa democracia.