Bailarino Guarulhense vence Festival de Dança de Joinville

Da Redação

Jeison Lopes começou a dançar aos 14 anos de idade, aos 15 já dava aulas. Morando na periferia de Guarulhos, enfrentou as dificuldades que a pobreza impõe, o preconceito, a falta de condições materiais e até mesmo a desconfiança da família. O reconhecimento, porém, chegou em julho deste ano com o prêmio de Melhor Bailarino do 36º Festival de Dança de Joinville.

 

Maior evento de dança da América Latina, o Festival de Joinville reúne mais de seis mil bailarinos e tem público superior a 200 mil pessoas. Jeison Lopes conquistou o primeiro lugar ao dançar O Acaso de Um Homem, que também rendeu ao coreógrafo Edson Santos a indicação de Melhor Coreógrafo.

 

Com formação clássica pelo Centro de Artes, Jeison já participou de outros grandes concursos como o Youth America Grand Prix, em Nova York. Atualmente, entre outros trabalhos, ele atua como professor no Núcleo de Dança Luana Rodrigues, localizado no Jardim Bela Vista.

 

“Quase todos os dias pensei em desistir. Mas ao mesmo tempo em que ouvia muitos nãos, também era acolhido pelas professoras, pelo meu coreógrafo Edson Santos, a quem considero como um pai. Não foi fácil enfrentar o preconceito de ser um bailarino negro, pobre”, comenta Jeison.

 

Consagrado em Joinville, Jeison Lopes espera que sua conquista seja espelho para outros dançarinos. “É muito gratificante representar a cidade, trazer para Guarulhos uma conquista tão importante. Espero que isso ajude a sensibilizar as autoridades a investirem mais em cultura, valorizá-la em todos os seus aspectos”, declara.

 

Gestora do Núcleo de Dança que leva seu nome, Luana Rodrigues reforça a reivindicação. “Os gestores públicos deveriam dar mais atenção à cultura. Aqui mesmo em Guarulhos, como o Jeison, há diversos outros talentos, nas mais variadas artes. Por falta de oportunidade, muitos desses talentos são simplesmente descartados”, reflete.

 

Imagem: Divulgação