Wellness e sustentabilidade: como conciliar as duas práticas?

Foto: Freepik
- PUBLICIDADE -
Corrida Folha Metropolitana

Wellness, que traduzido para o português significa “bem-estar”, é um método que busca a qualidade de vida cotidiana, satisfação e saúde, levando em consideração fatores mentais, sociais, emocionais e físicos. Segundo o Global Wellness Institute, a prática consiste na procura por atividades, escolhas e estilos de vida que encaminham para um estado de saúde holístico.

Esse conceito também está atrelado a consciência, educação e crescimento do ser humano. Diante disso, é possível conciliar o wellness com a sustentabilidade, que se refere às formas de uso responsável e consciente dos recursos naturais, para que as próximas gerações não sejam prejudicadas. Neste artigo, serão abordados alguns exemplos que ilustram a relação entre esses dois universos.

Alimentação saudável e consumo consciente

O bem-estar está intimamente ligado à alimentação. Sobre essa perspectiva, muitos acreditam que nutrir-se de alimentos orgânicos pode trazer inúmeros benefícios para a saúde. Optar por esse tipo de produto pode influenciar na queda da procura por alimentos industrializados, que, para serem fabricados, gastam uma grande quantidade de água e, na maioria das vezes, produzem muito plástico, contribuindo para a poluição do meio ambiente.

A Organização das Nações Unidas (ONU) fez recentemente um levantamento para a Alimentação e Agricultura (FAO) que apontou que um percentual de 33% da produção mundial de alimentos é desperdiçada anualmente. Sendo assim, ao fazer parte de um consumo consciente, evitando desperdícios e exageros, além de beneficiar a si próprio, o indivíduo está ecologicamente ajudando o planeta.

Deslocamento e atividade física

Para quem pratica o wellness, movimentar-se é um exercício fundamental. Posto isso, incluir atividades físicas no dia a dia garante uma grande melhora da qualidade de vida. Com esse intuito, os adeptos a essa conduta podem trocar o uso constante de veículos por caminhadas ou andar de bicicleta em trajetos mais curtos. Além de fazer bem à saúde, essa ação colabora para a redução de fontes de poluição.

Aos que estão começando, pode parecer difícil fazer essa troca, mas com o tempo o corpo consegue se adaptar, pois o condicionamento físico vai melhorando. Para tornar o processo mais tranquilo, essa mudança pode ser feita aos poucos, e é possível utilizar bons suplementos, como uma vitamina ou uma creatina, para aumentar a energia e disposição.

Wellness no ambiente de trabalho

No ambiente corporativo, existe a certificação WELL Building Standard, que define critérios de desempenho em sete áreas pertinentes para a saúde e o bem-estar dos funcionários, sendo eles ar, água, alimento, luz, fitness, conforto e mente. Essa iniciativa visa melhorar a qualidade de vida, saúde e produtividade de seus colaboradores, incentivando-os a ter hábitos mais saudáveis, além de disponibilizar um bom ambiente de trabalho.

Isso garante que a empresa também consiga atingir os padrões ESG, que são um conjunto de diretrizes e procedimentos que buscam determinar se uma organização opera de maneira socialmente responsável, sustentável e com gestão adequada. Essa adesão a governança ambiental, social e corporativa pode atrair mais clientes e investidores, o que consequentemente gera melhores resultados financeiros.

Em conclusão, conciliar as práticas de wellness e sustentabilidade pode trazer muitos benefícios para os indivíduos e para o planeta. Ademais, ter hábitos mais conscientes pode desenvolver melhor o bem-estar que envolve as questões mentais, sociais e emocionais, proporcionando experiências e sentimentos gratificantes.

- PUBLICIDADE -