Vila Augusta tem áreas esquecidas e mal cuidadas

Mayara Nascimento

Três locais do bairro Vila Augusta sofrem com o abandono e a falta de cuidado. Praças, ruas e vielas não tiveram seus matos cortados, algumas lâmpadas da iluminação pública estão queimadas e o parquinho do bairro está quebrado. Lixo, fios e galhos também estão espalhados pelo chão das praças.

A praça Antônio Frizzo, na rua Paraná, está abandonada. O local ficou inutilizado pela população, já que o mato atrai diversos insetos e as crianças não podem brincar nos brinquedos que estão enferrujados e quebrados.

A praça Nelson Alegreti e a viela que ficam na rua Otávio Nunes da Silva, se encontram no mesmo estado. Não possuem iluminação pública e o alto mato dificulta a passagem pela viela. Os moradores deixaram de usar a passagem pois se tornou um local inseguro.

“Já tem mais de dois meses que o bairro está assim. A praça Antônio Frizzo é perto de escolas e muitas crianças passam por ali. Com o mato alto, os marginais se escondem para assaltar quem passa. Alguns adolescentes também usam a praça para fumar e usar droga”, contou Cícero Demontieux, de 36 anos, que mora no bairro há sete anos.

Em nota a Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A (Proguaru), informou que realizará vistorias nas duas praças para, em seguida, inserir as manutenções em sua programação. Já as secretarias de Meio Ambiente e de Obras afirmaram que enviarão equipes ao local para solucionar os problemas citados.

Imagens: Divulgação