Vereadores se recusam a liberar áudios de Zeitune

Por Rômulo Magalhães

Na primeira reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI), instaurada para investigar uma suposta extorsão do pré-candidato ao Governo do Estado e vice-prefeito, Alexandre Zeitune (Rede), a empresário, os vereadores não liberaram o áudio.

Durante o encontro ficou decidido que somente após a realização de uma perícia que o conteúdo será divulgado. Deste modo, a comissão só deve retomar os trabalhos se existir algum fato novo.

Dos 11 vereadores que compõe a comissão, nove votaram a favor da não divulgação, Romildo Santos (DEM) chegou depois da votação e apenas Marcelo Seminaldo (PT), que é o presidente da CEI, se absteve.

Os parlamentares entendem que se os áudios virem a público, sem o resultado da perícia, as investigações podem ser prejudicadas. Apesar disso, todo o material foi encaminhado ao presidente da Câmara Municipal, Eduardo Soltur (PSD) e ao próprio acusado.

“O risco (de vazamento dos áudios) aumenta porque o vice passa ter acesso. Entendo que tira da Câmara a responsabilidade caso haja o vazamento”, disse Seminaldo ao final da reunião.

 Depoimento de Zeitune antes da perícia foi a principal discussão
A principal discussão do primeiro encontro foi a convocação ou não de Zeitune para depor na CEI já na próxima semana. Após uma longa discussão, ficou acertado que caso ele queira depor antes do resultado da perícia, que se manifeste formalmente.

Questionado, o vice-prefeito informou que a princípio não se pronunciará publicamente.

Foto: Rômulo Magalhães