Usuários do Serviço de Acolhimento Taboão participam de feira de artesanato no Lago dos Patos

Da Redação

Usuários do Serviço Institucional de Acolhimento Adulto Masculino do Taboão, conhecido como Casa de Acolhimento Taboão, participaram neste sábado e domingo, dias 12 e 13, da feira de artesanato no Lago dos Patos, na Vila Galvão. Os assistidos do serviço da prefeitura puseram à venda produtos como garrafas e potes de vidro decorados, sousplat e cestaria de jornal, os quais foram confeccionados nas oficinas de artesanato socioeducativas da unidade.

Ministrada pela assistente social Maria do Roccio Gomes Santos, a oficina é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social cujo objetivo é estimular a autoconfiança e o diálogo entre os acolhidos, além de promover a autonomia e o retorno à vida social e familiar (desinstitucionalização). As aulas ocorrem duas vezes por semana e envolvem reciclagem de material disponível com baixo custo como jornais, garrafas de vidro e técnicas como decoupage com guardanapo, marmorização, efeito pedra, vintage, arranjos florais em latas e flores de jornal.

O secretário da pasta, Alex Viterale, abordou a participação dos assistidos na feira. “A participação dos assistidos é fruto do trabalho de autoestima e autonomia feito no acolhimento através de atividades totalmente artesanais, nas quais eles desenvolvem um trabalho delicado e com cuidado. Ele mostra que as pessoas em situação de rua devem ser vistas com olhar diferente e que estão nessa situação por um motivo difícil. Com o trabalho artesanal e a venda de seu produto, essas pessoas poderão voltar à sociedade, dando continuidade à sua vida”, afirmou.

De acordo com a assistente social Maria Roccio, a oficina possibilita a integração dos acolhidos na sociedade. “Muitos se afastaram de suas famílias. A oficina auxilia no resgate do cidadão, levantando sua autoestima e, com isso, podem se aproximar e retornar ao lar”, afirmou.

O Serviço Institucional de Acolhimento, inaugurado no novembro de 2017, fica ao lado do Restaurante Popular Solidariedade Josué de Castro. Ele acolhe até 50 pessoas em situação de rua e funciona 24 horas. Além do acolhimento, oferece oficina de horta e de conversações, onde os usuários têm oportunidade de contar suas histórias de vida e seus anseios. O serviço realiza ainda trabalho técnico e encaminhamentos para outras instituições, de acordo com cada perfil e faixa etária.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos