TCE aponta cinco obras do Governo do Estado atrasadas ou paralisadas em Guarulhos

Da Redação

Relatório do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), divulgado ontem, aponta cinco obras de responsabilidade do Governo do Estado em Guarulhos paralisadas ou atrasadas. Juntas elas ultrapassam o montante de R$ 685,6 milhões – dos quais R$ 513,5 milhões já foram devidamente pagos, mas sem que as intervenções fossem concluídas.

A obra mais emblemática é o trecho Norte do Rodoanel que teve sua construção iniciada em março de 2013 com previsão de entrega de 36 meses. Três anos depois do prazo finalizado a intervenção que, além de Guarulhos, passará pela capital e Arujá, já está com o custo 50% maior do que o previsto inicial que era de R$ 4,3 bilhões e agora chega a R$ 6,3 bilhões e sem previsão de conclusão.

A Folha Metropolitana visitou em abril parte do trecho Norte próximo da região do Santos Dumont, e constatou que o local acumula mato alto, poeira e virou ponto de descarte de lixo. As vigas ainda estão a céu aberto. Os moradores afirmam que o abandono das obras se deu no final de 2018.

Em janeiro, a Secretaria de Logística e Transportes (SLT) iniciou uma análise completa de todas as obras paralisadas no estado. Para a conclusão, um contrato foi assinado com o IPT para um estudo sobre as intervenções a executar e verificar a atual situação dos trechos dos seis lotes.

Além do Rodoanel, constam ainda duas obras de reforma para implantação do Programa de Ensino Integral 2016; uma de reforma, adequação e ampliação da estação de tratamento de esgoto dos centros de detenção provisória I e II de Guarulhos; e a execução de obras e serviços de engenharia para realização de empreendimento composto de 228 unidades habitacionais e demais serviços, intervenções em domicílios remanescentes, urbanismo e infraestrutura da área.

Intervenções sem conclusão ultrapassam 1,5 mil em todo o estado

Segundo levantamento realizado pelo TCE-SP, o estado possui mais de 1.500 obras paralisadas e atrasadas. Os números apontam que o montante de recursos públicos envolvidos, entre obras nos municípios e de competência do Estado, ultrapassa o valor de R$ 49 bilhões. Com base em dados atualizados até o dia 30 de junho de 2019, a soma do valor inicial dos contratos iniciais chega ao total de R$ 49.565.465.035,29.

Imagem: Lucy Tamborino