Taxistas e motoristas de aplicativos realizam mais de 50 BOs por ameaças de clandestinos no Aeroporto de Guarulhos

Mesmo após a Folha Metropolitana ter denunciado em julho a existência de um grupo de motoristas clandestinos que atuam no GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, a situação não foi resolvida. Até o momento, cerca de 50 boletins de ocorrência foram registrados por motoristas de ônibus e aplicativos contra os clandestinos que são conhecidos como “arrastadores”.

Desde o final de 2019 um grupo vem se passando por motoristas de aplicativos, mas na verdade realizam o transporte de forma clandestina. A prática é recorrente no Terminal 2. Muitos chegam a intimidar e ameaçar os passageiros, além de taxistas e motoristas regularizados para prestar esse tipo de serviço no terminal. Há relatos, ainda, de clonagem de cartões e extravios e bagagens.

“Esses arrastadores, como são conhecidos, chegam a intimidar com ameaças a taxistas e motoristas de ônibus regulamentados a fornecer o transporte. Sempre há ameaças e discussões por parte dos clandestinos”, afirmou um dos denunciantes que preferiu não ser identificado.

Os trabalhadores devidamente regularizados para trabalhar no maior aeroporto da América Latina reclamam da omissão da concessionária que administra o terminal. “Mesmo com a pandemia, houve um reajuste no valor do aluguel pago por todos os que trabalham aqui. Não houve uma sensibilidade em relação a isso”, disse.