Subestações de energia da EDP terão tecnologia de realidade aumentada para inspeções e operação

A EDP, distribuidora de energia elétrica do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Litoral Norte de São Paulo, acaba de incorporar mais uma tecnologia às suas subestações de energia: a gestão da manutenção e operação de ativos com uso de realidade aumentada. A primeira unidade a receber os novos equipamentos é a Estação de Distribuição de Energia Casa Branca, no município de Suzano.

Os óculos de realidade aumentada são dispositivos de câmera e vídeo integrados, que não requerem uso das mãos, são telecomandados por voz e possuem conexão via wi-fi e bluetooth. Com uma tela que projeta imagens de 7 polegadas ao colaborador que os utiliza, os óculos têm memória até 256Gb e possuem bateria com 8h de autonomia. São à prova d’água e compatíveis com o capacete, equipamento essencial à segurança nas estações, pesando apenas 380g.

Esses equipamentos permitirão a filmagem das instalações da EDP para transmissão em tempo real ou gravação, podendo ser utilizados para inspeções de segurança, fiscalização de obras, manutenções preventivas, além de suporte emergencial com vídeo chamada. Dentre os benefícios proporcionados pela nova tecnologia, estão a redução de tempo nos atendimentos emergenciais, suporte especializado em tempo real, controle de gestão de ativos por câmera, visualização de documentos e procedimentos, validação de condições de segurança por imagem na execução das manutenções, reduzindo, dessa forma, riscos para os colaboradores.

“Iniciamos a utilização dos óculos na estação Casa Branca, em Suzano, e expandiremos o uso dessa tecnologia para nossas novas unidades na área de concessão. Estamos sempre atentos ao surgimento de novas soluções que possam elevar a segurança e a excelência dos nossos serviços, e este projeto é um ótimo exemplo de aplicação prática com sucesso”, afirma Cristiane Fernandes, diretora da EDP em São Paulo. Para ampliar a eficiência durante as inspeções, já estão em andamento estudos que incluem câmeras térmicas nos óculos de realidade aumentada, garantindo análises técnicas ainda mais especializadas.

- PUBLICIDADE -