SP Escola de Teatro abre vagas para cursos regulares em setembro

Da Redação

Entre setembro e outubro de 2018, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco abre inscrições de seus cursos regulares para as turmas de primeiro semestre de 2019. O site e as redes sociais devem soltar informativos aos interessados para que não percam os prazos.

Nesta primeira semana de julho, uma nova turma aprovada começa o semestre. A matrícula dos selecionados será realizada via internet. E, caso haja uma lista de remanejamento, ela será divulgada no próximo 6 de julho.

A seleção, que aconteceu entre maio e junho, recebeu 691 inscrições. Os participantes foram avaliados por meio de provas de redação, entrevistas e testes práticos.

“Pessoas do meio começaram a se reunir pensando que ela poderia ser uma escola de formação técnica, com aulas de iluminação, sonoplastia, figurino. Mas para que esse aprendizado se desse de uma forma mais completa, seria interessante termos cursos que pudessem dialogar com o que é técnico, mas também com o que é artístico, como dramaturgia, atuação, direção, além do nosso interesse em penetrar em algo de teor mais cômico, e por isso as aulas de humor”, conta o coordenador da companhia, Raul Barretto.

O também coordenador da escola, Hugo Possolo, falou sobre o processo seletivo da SP, que é bastante rigoroso. “As redações são avaliadas pelo Instituto Mais, que trabalha em parceria conosco, o que é previsto por lei. Mas também propomos uma entrevista com os candidatos, papos de quatro a cinco minutos. Temos uma proposta pedagógica avançada, diferenciada e modular, e dialogar, descobrir o histórico dele, o que ele já passou, pode ajudar até a indicarmos outros caminhos curriculares para eles. Aqui temos foco de aprimoramento, o que muda bastante o perfil do aluno da escola”, explicou.

Mais especificamente falando sobre o curso de Dramaturgia, um dos mais concorridos da casa, a jornalista, curadora teatral e dramaturga, Marici Salomão, explica que a SP é mesmo uma escola diferenciada.

“Todo mundo pode fazer teatro, claro. Mas quem é que fica? Quem tem vocação para ficar, apesar de todos os desafios? Dramaturgia é compor, organizar o trabalho em cena. Essa escola tem duas características muito fortes: somos do fazer, mesmo com teoria e com método. Acreditamos que não podemos ser reféns da teoria, somos do experimentar com sensibilidade. E por fim, a nossa cultura mais horizontal, a mistura de todas as “frutas” para conseguirmos criar condutas próprias e sermos originais”, explica.

A instituição, vinculada à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, é gerida pela Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap). Rodolfo García Vázquez, coordenador do curso de Direção, complementa as palavras de Marici.

“A direção teatral é uma arte bastante interessante porque trabalha com a questão do texto e da dramaturgia na cena, a questão do tempo, a sucessão de eventos para criar efeito no espectador, questões de espaço da ação cênica, a imagem, elementos de construção sensíveis, o ritmo. O tempo te faz ficar à vontade para brincar com a linguagem e é preciso de tempo para entender os códigos, perder a ansiedade. É um pouco disso que trabalhamos aqui”.

Imagem: Divulgação