Sob regência de Ligia Amadio, Orquestra do Theatro São Pedro recebe mezzo-soprano Ana Lucia Benedetti

Da Redação

Grupo toca peças de Beethoven, Mahler e Schumann no segundo final de semana de julho; público também pode conferir de graça ensaio aberto que ocorre na quinta, 12

O Theatro São Pedro, instituição sob gestão da organização social Santa Marcelina Cultura, segue com sua programação com apresentações da Orquestra do Theatro São Pedro, que volta ao palco nos dias 13 e 14 de julho, sexta e sábado, às 20h, com ingressos a R$ 30,00 (inteira). E com o intuito de democratizar o acesso à cultura com música de qualidade, na quinta-feira, véspera dos concertos, tem ensaio aberto, às 11h e a entrada é gratuita.

A batuta estará a cargo da regente convidada Ligia Amadio, atual diretora da Orquestra Filarmônica de Montevidéu, do Uruguai e que volta a comandar o grupo estável do São Pedro após apresentações elogiadas em setembro do ano passado. E neste programa ela revisita uma de suas especialidades: a obra de Gustav Mahler.

Com a participação da mezzo-soprano Ana Lucia Benedetti, que vem se destacando no cenário brasileiro com atuações como a da personagem Fidalma na comédia O Matrimônio Secreto, ópera de Domenico Cimarosa, que abriu a temporada lírica do Theatro São Pedro em maio, orquestra e solista interpretam o ciclo de canções Rückert-Lieder que o compositor austríaco escreveu com base nos poemas de Friedrich Rückert. Completam o repertório duas obras que ajudam a traçar um panorama do Romantismo alemão: abertura de Coriolano, de Beethoven e a Sinfonia nº 3, Renana, de Schumann.

Até dezembro, a Orquestra do Theatro São Pedro apresenta mais três programas sinfônicos – seis concertos no total – com os maestros convidados Ricardo Bologna, Roberto Tibiriçá e Ricardo Kanji. O grupo também recebe alguns dos principais cantores do cenário lírico brasileiro, como as sopranos Eliane Coelho e Manuela Freua, além do grande violoncelista Antonio Meneses, que fecha o ano.

O repertório visa trabalhar as vozes em suas múltiplas facetas e traz obras de Prokofiev, Verdi, Wagner, Carlos Gomes, Berio e Ginastera, além dos compositores brasileiros vivos Silvio Ferraz e Valéria Bonafé. A programação completa está na internet, acesse theatrosaopedro.org.br. 

Programa: 

LUDWIG VAN BEETHOVEN
Abertura Coriolano [10min]

GUSTAV MAHLER
Rückert-Lieder [18min] 

ROBERT SCHUMANN
Sinfonia nº 3, Renana [32min]

 

Serviço:

ORQUESTRA DO THEATRO SÃO PEDRO

Regente: Ligia Amadio
Solista convidada: Ana Lucia Benedetti

 

ENSAIO ABERTO

Datas: 12 de julho
Horários: quinta, às 11h
Local: Theatro São Pedro
Endereço: R. Albuquerque Lins, 207 – Campos Elíseos, São Paulo-SP

Entrada gratuita – por ordem de chegada e sujeito à lotação
Capacidade: 636 lugares
Acessibilidade: Sim

 

CONCERTOS

Datas: 13 e 14 de julho
Horários: sexta e sábado, 20h
Local: Theatro São Pedro
Endereço: R. Albuquerque Lins, 207 – Campos Elíseos, São Paulo-SP
Ingresso: R$ 30 inteira | R$ 15 meia
Mais informações: (11) 4003-1212 ou acesse ingressorapido.com.br
Duração: 60 minutos (aproximadamente)
Classificação indicativa: Livre
Capacidade: 636 lugares
Acessibilidade: Sim

 

Ligia Amadio, regente

É uma das mais destacadas regentes brasileiras da atualidade e sua atuação estende-se por Europa, Ásia e Américas. Premiada no Japão, no Chile, no Brasil e na Argentina, exerceu o cargo de regente titular e diretora artística nas Orquestras Sinfônica Nacional – UFF, Sinfônica de Campinas, OSUSP (Brasil), OSUNCUYO e Filarmônica de Mendoza (Argentina), e na Filarmônica de Bogotá (Colômbia). Em 2017 assumiu a direção da Orquestra Filarmônica de Montevidéu (Uruguai). Sua discografia reúne 11 CDs e 5 DVDs.

Ana Lucia Benedetti, mezzo-soprano

Bacharel em canto, obteve 1º lugar no IX Concurso Maria Callas; Melhor Voz Feminina no IV Concurso Carlos Gomes; e 3º lugar no IX Concurso Bidu Sayão. Debutou como Santuzza (Cavalleria Rusticana) no Teatro Municipal de Santiago, em 2015; Olga (Eugene Onegin); Ulrica (Um Baile de Máscaras) no Palácio das Artes; e Azucena (Il Trovatore) no Theatro São Pedro. Trabalhou sob regência de John Neschling, Giuseppe Sabbatini, Roberto Tibiriçá, Luiz Fernando Malheiro, Jacques Delacôte, Alain Guingal, José Domínguez, Mauro Wrona, Silvio Viegas e Marcelo Ramos, entre outros.

Santa Marcelina Cultura

Criada em 2008, a Santa Marcelina Cultura é uma associação sem fins lucrativos, qualificada como Organização Social de Cultura. É responsável pela gestão do Guri da capital e região Metropolitana de São Paulo e da Escola de Música do Estado de São Paulo – Tom Jobim (EMESP Tom Jobim). O objetivo da Santa Marcelina Cultura é desenvolver um ciclo completo de formação musical integrado a um projeto de inclusão sociocultural, promovendo a formação de pessoas para a vida e para a sociedade. Desde maio de 2017, a Santa Marcelina Cultura também gere o Theatro São Pedro, desenvolvendo um trabalho voltado a montagens operísticas profissionais de qualidade aliado à formação de jovens cantores e instrumentistas para a prática e o repertório operístico, além de se debruçar sobre a difusão da música sinfônica e de câmara com apresentações regulares no Theatro.

Imagem: Sergio Ferreira