Sessão da Câmara Municipal termina em confusão

Por Rômulo Magalhães

A sessão legislativa da Câmara Municipal de ontem à tarde acabou em confusão envolvendo os vereadores Romildo Santos (DEM), Luís da Sede (PRTB) e o presidente da Casa, Eduardo Soltur (PSD).

Tudo começou quando Soltur, por volta das 16h, encerrou a sessão por falta de quórum, quando não há a presença mínima de vereadores no plenário. Segundos antes de encerrar a sessão, Santos subiu à tribuna e pediu para justificar um requerimento referente à saúde, mas não foi atendido.

Alterado, Santos pegou o microfone, jogou no chão e começou a contestar a atitude de Soltur em alto tom de voz. O vereador Luis da Sede sentiu-se ofendido e entrou na discussão. “Você não pode desrespeitar os outros vereadores”, reclamou Luis. Começou um empurra-empurra e minutos depois os ânimos foram acalmados.

“Fui cerceado. É muito feio o que o presidente fez aqui. Ele já não deixou nos encaminharmos, que é um direito nosso e aí nós estamos aguardando para poder justificar e foi feito uma manobra pelo líder do governo (vereador Eduardo Carneiro) e outros vereadores para esvaziar a casa e não deixar eu e outros vereadores justificarem. É vergonhoso o que aconteceu aqui”, disse Romildo Santos.

Questionado, Eduardo Soltur disse que Santos conhece o regimento interno da Câmara. “Há um regimento e eu tenho que obedecer. Quando há menos de 11 vereadores na Câmara, eu tenho que encerrar a sessão”, explicou.

Procurado, o vereador Eduardo Carneiro (PSB), líder da oposição não atendeu as ligações da reportagem.

Foto: Rômulo Magalhães