Sesc Guarulhos recebe Festival Internacional de Circo

Da Redação

O recém-inaugurado Sesc Guarulhos será a única unidade do Sesc fora da capital paulista a receber os espetáculos da 5ª edição do Circos – Festival Internacional Sesc de Circo. Entre os dias 14 e 23 de junho o público da cidade e região terá a oportunidade de assistir a oito montagens, entre produções nacionais e internacionais, algumas delas inéditas no país.

Integram a programação do festival no Sesc Guarulhos os espetáculos Babel, Glöm (Suécia, Finlândia, Alemanha, França, inédito nas Américas), Halka – A Energia do Círculo (Marrocos), Guadual – Bambuzal (Equador, inédito no Brasil), Os Pássaros Do Lido (Rio de Janeiro, Espanha, Rússia, Portugal, Argentina, México, Chile, França), Probabilidades – Coletivo Lateral (São Paulo), Cortejo Das Martas (Argentina, Brasil, Chile), Enxame (São Paulo) e African Show (Quênia, inédito nas Américas).

O Circos – Festival Internacional Sesc de Circo chega à 5ª edição reafirmando-se como espaço de encontro para a produção contemporânea circense brasileira e estrangeira, com espetáculos, intervenções e atividades formativas que, ao longo de 11 dias, circularão por unidades do Sesc na capital e Guarulhos.

O festival promove o encontro entre artistas de diferentes culturas, técnicas e habilidades, como acrobacia, malabarismo, equilibrismo, palhaçaria e ilusionismo. Atento a uma tendência mundial, também aposta na integração entre a linguagem circense e outras, como dança, música, teatro e cinema.

“A relevância das expressões artísticas reside nas conexões com as coisas do mundo e, nesse sentido, a experiência do circo sugere um elemento para inspirar a ação cultural: o trabalho coletivo”, destaca o diretor do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda sobre o Circos – Festival Internacional Sesc de Circo, “que apresenta em sua quinta edição espetáculos de diversas origens, cuja essência reside na ação coletiva, nas quais o protagonismo individualizado cede espaço para a concepção plural”.

Além do Sesc Guarulhos, o Circos acontecerá nas unidades Avenida Paulista, Belenzinho, Bom Retiro, Campo Limpo, Carmo, Centro de Pesquisa e Formação, CineSesc, Consolação, Ipiranga, Itaquera, Parque Dom Pedro II, Pinheiros e Vila Mariana. A programação completa está disponível em sescsp.org.br/circos e a venda de ingressos acontece por este mesmo endereço e em todas as unidades do Sesc São Paulo.

PROGRAMAÇÃO 5ª EDIÇÃO DO CIRCOS – FESTIVAL INTERNACIONAL SESC DE CIRCO

 SESC GUARULHOS

ESPETÁCULOS

Dias 14 (sexta-feira, às 20h), 15 (sábado, às 20h) e 16 de junho (domingo, às 18h)

HALKA (A Energia do Círculo) – Grupo Acrobático do Tanger (Marrocos)

A acrobacia é a essência de Halka. O espetáculo marroquino, inédito nas Américas, ressignifica essa modalidade artística tradicional com o objetivo de desafiar, atualizar e valorizar a tradição acrobática. Numa referência ao modo como as antigas performances de rua eram apresentadas no Marrocos, os números seguem formas circulares (halka significa “a energia do círculo”). “Eles reverenciam o conhecimento passado de geração a geração e o contextualizam com referências da sociedade atual”, diz Sanae El Kamouni, diretora da companhia. As tensões entre tradição e modernidade são representadas também pela disputa entre gêneros, como no momento em que uma mulher tenta comandar o grupo, mas é destituída por um homem.

Os artistas encenam números como pirâmides acrobáticas e saltos mortais em um enredo que homenageia o santo sufi Sidi Ahmed o Moussa, considerado patrono dos acrobatas marroquinos. A trilha sonora é executada ao vivo por dois artistas, com cânticos, percussões e instrumentos de sonoridade típica marroquina.

SERVIÇO

Duração 60 min.

Recomendação etária: 10 anos

Ingressos: Inteira R$ 40,00, Meia R$ 20,00 e Credencial plena R$ 12,00

Local: Teatro

Vídeo em:https://www.youtube.com/watch?v=UD7oL60LhlQ

Dia 18 de junho, terça-feira, às 15h

BABEL, GLÖM (Kaaos Kaamos, Suécia / Finlândia / Alemanha / França)

Inédito nas Américas, Babel, glöm desafia os limites da força e do equilíbrio para discutir as ideias de individualidade e coletividade. “A performance fala sobre viver junto e lidar com as diferenças. Queremos explorar as tensões entre o ‘seja você mesmo’ e o ‘fique junto’”, diz o artista Anouck Le Roy. Babel, glöm significa “Babel, esqueça”, um convite, segundo Anouck, a ir além do mito da Torre de Babel, cuja construção foi interrompida porque as pessoas não se entendiam por falarem línguas diferentes, segundo a tradição bíblica. A ideia do espetáculo é usar o que parece nos separar para nos tornar mais fortes.

Ao reunir seis acrobatas de quatro países diferentes, a diversidade cultural do grupo e o repertório individual de cada artista são colocados em destaque no trabalho, que aborda a união por meio de técnicas acrobáticas executadas de forma coletiva. Muitas vezes, cada um fala o texto na sua própria língua materna, reforçando a ironia das tentativas de comunicação, que muitas vezes só ocorre pelos movimentos dos artistas. É o primeiro trabalho da companhia sueca Kaaos Kaamos.

SERVIÇO

Duração 45 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Local: Praça de Convivência

Vídeo em:https://www.youtube.com/watch?v=Fc7OIirQzGs&t=4s&frags=pl%2Cwn

Dias 21 (sexta-feira, às 20h), 22 (sábado, às 20h) e 23 de junho (domingo, às 18h)

GUADUAL (Bambuzal) – Teatro Sánchez Aguilar (Equador)

Uma companhia de circo internacional é abandonada numa estrada à beira de um rio, no Equador, e acolhida por camponeses, com quem passa a conviver e dividir o espaço. O espetáculo, inédito no Brasil, traz um cenário que reproduz um bambuzal, onde acontece a troca entre esses dois universos. Os artistas ensinam truques circenses aos anfitriões, que, por sua vez, mostram aos forasteiros como lidar com o bambu. Um encontro poético da arte com a natureza.

Elementos prosaicos do dia a dia de uma comunidade rural são incorporados à dramaturgia, como as sacas de palha que viram base para saltos. Num dos momentos mais impactantes, o grupo monta uma enorme estrutura de bambu, com 7,5 metros de altura, que remete à tenda do circo e é usada para as acrobacias aéreas. O encontro entre esses dois mundos, dos artistas e dos camponeses, carrega uma mensagem humanista, segundo Leandro Mendoza Artagaveitia, diretor do espetáculo. “A partir da natureza, pessoas unidas conseguem construir algo aproveitando a sorte e a casualidade.” A música ao vivo, com voz, violão, percussão e marimba, dá o ritmo da encenação.

SERVIÇO

Duração 90 min.

Recomendação etária: 10 anos

Ingressos: Inteira R$ 40,00, Meia R$ 20,00 e Credencial plena R$ 12,00

Local: Teatro

INTERVENÇÕES GRATUITAS

Dia 14 de junho, Sexta-feira, às 18h30

PROBABILIDADES – Coletivo Lateral (São Paulo – SP)

Risco físico, incerteza sobre o resultado, expectativas em torno da apresentação. Probabilidades é uma investigação dessas questões, que fazem parte da natureza do circo. Em duplas ou em quarteto, os artistas formam pirâmides e gangorras humanas, entre outros números. Um corpo se apoia no outro e depois na barra, que serve de base para rolamentos, cambalhotas e saltos a metros do chão.

“Costumamos nos apresentar em espaços públicos e queremos mostrar que não é preciso muito para se fazer coisas extraordinárias. Com uma estrutura enxuta, uma barra e nossos corpos, construímos imagens e movimentos que sempre quebram barreiras”, afirma Debora Ishikawa, artista e produtora do coletivo.O Coletivo Lateral surgiu da união dos artistas da Companhia Gravitá e do Grupo Eleve Circo e Arte, com o intuito de levar às ruas apresentações circenses que dialoguem com o cotidiano.

SERVIÇO

Duração 30 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Dia 15 de junho, Sábado, às 17h

OS PÁSSAROS DO LIDO – Le Lido (Rio de Janeiro, Espanha, Rússia, Portugal, Argentina, México, Chile, França)

O grupo reúne 15 artistas de oito países, cujo trabalho aborda questões contemporâneas urgentes, a partir dos movimentos circenses. “Nos servimos de nossa pluralidade cultural para falar sobre as relações sociopolíticas atuais no mundo, seus avanços e retrocessos, e a coletividade dentro de uma sociedade cada vez mais individualista”, diz Rodrigo Ceribelli, um dos dois integrantes brasileiros da companhia.

A encenação é feita por meio de situações que mesclam momentos de tensão e humor. São usadas técnicas da dança contemporânea, acrobacias aéreas e malabarismo, com destaque para os números com claves – peças em formato de pera alongada que os malabaristas jogam para o alto. O grupo é formado por alunos da escola de circo francesa Le Lido, sediada em Toulouse, na França.

SERVIÇO

Duração 30 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Dia 20 de junho, Quinta-feira, às 12h

AFRICAN SHOW – Sarakasi Warrior Acrobats (Quênia)

Esta intervenção, inédita nas Américas, realizada por cinco acrobatas do Quênia celebra a cultura africana. A referência ao país de origem dos artistas aparece na maneira como executam os movimentos, explica Marion Op het Veld, diretora geral da companhia. “O estilo das acrobacias é tipicamente queniano: fazem os saltos e as pirâmides humanas sempre num ritmo muito rápido”, diz.

A diretora destaca, no entanto, que o trabalho traz também elementos do continente africano como um todo. Um dos destaques é o limbo, em que uma pessoa deve passar embaixo de um bastão sem tocá-lo enquanto dança. Números de pirofagia e acrobacias aéreas com argolas completam a performance, cuja trilha traz a sonoridade da rumba congolesa, também conhecida como lingala, alusão ao nome de um idioma banto falado no noroeste do Congo.

O Sarakasi Warrior Acrobats faz parte da Sarakasi Trust, companhia criada há 18 anos em Nairóbi, capital do Quênia.

SERVIÇO

Duração 20 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Dia 20 de junho, Quinta-feira, às 17h30

CORTEJO DAS MARTAS – Cia Las Martas (Argentina, Brasil, Chile)

A Cia Las Martas é formada por seis artistas que apresentam números de equilíbrio, malabarismo e dança, enquanto tocam uma trilha sonora composta por ritmos como salsa, cumbia e forró. Elas se revezam entre saxofone, trompete, pratos, bumbo, clarinete e outros instrumentos. Além disso tudo, fazem seus improvisos cômicos, os chamados gags, ou cacos. Nesse cortejo itinerante, o objetivo da companhia é provocar uma reflexão sobre o papel das mulheres na sociedade contemporânea, abordando as relações entre elas e o mundo, os vínculos que encorajam essas mulheres e promovem acolhimento.

Fundada em 2014, a Cia. Las Martas reúne artistas sul-americanas que fazem performances de rua. Segundo o grupo, a “Marta” representada no espetáculo e no nome da companhia sintetiza muitas mulheres e suas diversas habilidades.

SERVIÇO

Duração 40 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Dias 23 de junho, Domingo, às 16h

ENXAME – Circo Enxame (São Paulo – SP)

Na montagem, o modo de vida das abelhas é usado de forma alegórica para tratar de temas como sustentabilidade e individualidade. Quatro indivíduos, à espera de que algo aconteça, são levados a subverter a ordem das coisas e dos objetos cotidianos em um fluxo de acontecimentos nada rotineiros.

Utilizando alegoricamente o modo de vida das abelhas e a figura do apicultor, o trabalho busca discutir temas sensíveis ao homem contemporâneo, como a questão da individualidade versus coletividade, a partir da compreensão da forma como outros coletivos vivos se organizam. “De modo lúdico, tocamos em temas sensíveis à nossa sociedade como preservação ambiental, robotização do ser humano, supressão das diferenças entre indivíduos e desenvolvimento (in)sustentável”, diz o artista Jean Leca. Esses temas são explorados pela trupe em cenas que utilizam diferentes técnicas circenses como dândi acrobático, corda-bamba, malabarismo, parada de mão, equilíbrios, acrobacias de solo e palhaçaria.

Criado em 2015, o Circo Enxame é um coletivo de artistas que cursaram escolas de circo no Brasil e no exterior, e que hoje tem foco na criação, na pesquisa de linguagens e no trabalho autoral.

SERVIÇO

Duração 30 min.

Recomendação etária: Livre

Ingressos: Grátis

Vídeo em: https://youtu.be/Zg5OBMKqT1k 

Imagem: Divulgação/Sesc