Secretaria de Cultura recebe doação de acervo do fotógrafo Massami Kishi

Mais de 11 álbuns com fotos antigas da cidade, equipamentos fotográficos e de filmagem, filmes e películas de 8, 16 e 35 milímetros e documentos pessoais do fotógrafo Massami Kishi foram doados na última segunda-feira (14) para a Secretaria de Cultura de Guarulhos. O material, resultado da dedicação de Kishi em mais de 60 anos de profissão, passa a compor o acervo do Arquivo Histórico Municipal de Guarulhos e estará disponível para consulta do público tão logo esteja catalogado.

“Por meio de suas lentes, de seu olhar apurado para as mais diversas manifestações sociais, culturais e políticas de Guarulhos, Massami Kishi construiu importante legado e tornou-se referência para todos aqueles que desejam conhecer nossa história mais a fundo. Estamos muito felizes em poder mediar, com visitações e exposições guiadas ao Arquivo Histórico, o compartilhamento de todo esse conhecimento para os munícipes”, disse o secretário de Cultura, Professor Jesus.

Testemunha da história da cidade

Massami Kishi registrou imagens célebres de personalidades e de fatos importantes que marcaram a história do município, como os festejos do IV centenário de fundação da cidade e a posse do prefeito Waldomiro Pompeo, em 1973, entre outros.

No acervo de fotografias doado, é possível encontrar registros antigos do centro de Guarulhos, datados dos anos 1950 e 1960, de bairros como a Vila Galvão. Em meio a algumas dessas imagens há fotos da centenária Banda Lira com o maestro César Testai, das comemorações da Festa de Nossa Senhora de Bonsucesso e do Tênis Clube de Guarulhos.

Prestes a celebrar 92 anos, em agosto deste ano, Kishi decidiu doar parte desse acervo para o Arquivo Histórico Municipal como forma de preservar e disseminar seu legado e para que mais pessoas possam conhecer seu trabalho, feito com dedicação desde 1954.

De acordo com Renato Collacique, responsável pelo Arquivo Histórico, o acervo doado por Massami Kishi para a Prefeitura tem grande relevância para historiadores e pesquisadores, além de estudantes e interessados em entender a história material e imaterial da cidade, considerando a riqueza de imagens e informações que o material representa.

“Por meio desse acervo, composto pelos equipamentos e pelo registro de imagens, é possível compreender o processo criativo de Massami Kishi, seu modo de trabalho e suas paixões. Certamente ele representa um ícone da fotografia em Guarulhos”, observa Collacique enquanto apresenta detalhes que evidenciam as escolhas do fotógrafo no registro de imagem. Segundo ele, a aquisição desse conteúdo pelo Arquivo Histórico é de grande importância, considerando que Massami Kishi é testemunha viva da história da cidade.

Fotógrafo premiado, sua brilhante atuação lhe rendeu os prêmios Troféu Guaru (1986), o 2º lugar em Concurso de Fotografia no Japão (1953) e o Título de Cidadão Guarulhense (em 1986).

Imigração japonesa em Guarulhos

Nesta sexta-feira (18) é comemorado o Dia Nacional da Imigração Japonesa, data na qual o primeiro navio aportou ao Brasil com imigrantes japoneses, no porto de Santos, em São Paulo, em 1908.

Em Guarulhos, a história de Massami Kishi e sua família se confunde com a imigração japonesa na cidade, que teve início no início do século XX e se intensificou nas décadas seguintes.

Massami Kishi nasceu no Japão, na cidade de Osaka, em 1929. Aos seis anos, em 1935, ele e a família desembarcam no porto de Santos e chegam a Guarulhos em 1936. Diante da grave crise econômica vivida pelo Japão, um acordo entre o governo japonês e o brasileiro incentivou a vinda de japoneses, considerando que o Brasil necessitava de mão de obra para a lavoura do café. Dedicada à marcenaria e à agricultura, a família de Kishi fabricou móveis e foi a maior produtora de alfaces da região.

Aos 21 anos Kishi ganhou a primeira máquina fotográfica de seu pai. Em 1954, tornou-se o primeiro repórter fotográfico do Jornal de Guarulhos, registrando atividades do Rotary Club. Em 1964, casou-se com Luzia Padilha e teve três filhos: Myrene, Myrna e Eduard. Em 1967 montou a Foto Massami e fez da fotografia sua atividade principal.

Ele também trabalhou para o jornal Gazeta Esportiva. São de sua autoria as fotos que ilustram o livro Guarulhos: Cidade Símbolo, de Adolfo Noronha. O fotógrafo se dedicou ainda à escrita de artigos para o jornal Olho Vivo, entre fevereiro de 1998 e abril de 2002, uma coluna chamada Guarulhos Século XX, que resultou na edição de um livro com o mesmo nome, com mais de 150 fragmentos de lembranças e registros fotográficos.

Atualmente, de acordo com o último censo, estima-se que há cerca de 1,5 milhão de cidadãos de origem japonesa vivendo no Brasil.