Saúde acompanha vacinados que tomaram doses dos lotes interditados da Coronavac

A Prefeitura de Guarulhos recebeu do Centro de Vigilância Epidemiológica Estadual essa semana a nota informativa nº 8/2021 1 – CVE/CCD/SES-SP, que trata dos lotes do imunizante Coronavac interditados cautelarmente pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no último dia 4. De acordo com o documento, as pessoas que receberam essas doses devem ser acompanhadas durante 30 dias para avaliação de possíveis eventos adversos, com as devidas anotações no Vacivida, sistema de informação oficial para registro das doses aplicadas das vacinas contra a covid-19 do Estado de São Paulo.

Desta forma, a Secretaria da Saúde de Guarulhos irá acompanhar as pessoas que foram imunizadas com esses lotes. Elas podem procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em caso de eventual efeito adverso dentro do período de até 30 dias após receber a vacina. A interdição preventiva abrange as doses envasadas em fábrica não aprovada no processo de autorização para uso emergencial da vacina.

Os lotes interditados cautelarmente pela Anvisa e que foram distribuídos para o Estado de São Paulo são L202106038, J202106025, J202106029, J202106030, J202106031, J202106032, J202106033, H202106042, H202106043, H202106044, J202106039, L202106048 das vacinas Coronavac/Sinovac Life Sciences Co.Ltd. e Instituto Butantan.

De acordo com informações publicadas pela Agência Brasil, em nota, o Butantan, que distribui a vacina no Brasil, esclareceu que a medida da Anvisa “não deve causar alarmismo”. “Foi o próprio instituto que, por compromisso com a transparência e por extrema precaução, comunicou o fato à agência, após atestar a qualidade das doses recebidas. Isso garante que os imunizantes são seguros para a população”, diz o comunicado.

- PUBLICIDADE -