Saiba a situação do imóvel antes da aquisição ou locação em São Paulo

Da Redação

Na hora de adquirir ou alugar um imóvel surgem muitas dúvidas em relação à real condição do bem. Em São Paulo, é possível conseguir informações mais abrangentes sobre o imóvel, como multas, tombamento, possíveis irregularidades físicas, entre outras, por meio de consultas online disponibilizadas pela prefeitura do município. A engenheira civil Sanrlei Polini, sócia-diretora da SanrleiPolini Engenharia Consultiva, orienta como pesquisar essas informações.

Um dos serviços importantes, segundo ela, é o de Consulta Preliminar, oferecido pela prefeitura de São Paulo, com informações sobre o imóvel a ser ocupado. “Na pesquisa, é possível saber se o imóvel em questão tem ou não restrição de tombamento, se está localizado em área contaminada, de manancial ou de proteção ambiental, e se possui pendências financeiras”, explica.

As pessoas também podem consultar o CIT – Cadastro de Imóveis Tombados para saber se se o imóvel está localizado em alguma área sobre a qual incide alguma legislação de preservação, sem a necessidade de dirigir-se à Subprefeitura do bairro ou ao Departamento do Patrimônio Histórico/Conpresp.

A consulta pode ser feita em alguns casos, por meio do número de contribuinte, disponível no carnê do IPTU, ou pelo endereço do imóvel. Para informações gerais sobre o que está sendo construído ou reformado na cidade, desde 1997, e se a documentação está em dia, a opção é acessar o  “De Olho na Obra”.

A prefeitura também disponibiliza a plataforma GeoSampa, um mapa digital da cidade de São Paulo, que é mantido pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento, e permite a consulta de zoneamento. Com o número de contribuinte do IPTU (SQL – Setor-Quadra-Lote) há a opção de acessar informações sobre a zona de uso, macroárea, perímetro de qualificação ambiental, entre outras.

“É importante orientar as pessoas que existem essas ferramentas online sobre o imóvel, facilitando as informações necessárias para fazer um negócio consciente”, complementa Sanrlei Polini.

Foto: Roberto Parizotti