Sabesp assumirá gestão do Saae garantindo tratamento de esgoto e fim do rodízio de água

Da Redação

A Companhia Estadual de Saneamento Ambiental (Sabesp) deverá assumir a gestão do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Guarulhos pelos próximos 40 anos. O protocolo de intenções, confirmando a negociação, será assinado hoje pelo governador Márcio França e pelo prefeito Guti.

Para a população, as vantagens estão no fim do rodízio até o final do ano que vem, a partir da construção de novas adutoras entre São Paulo e Itaquaquecetuba até Guarulhos e de reservatórios em pontos estratégicos da cidade, e no tratamento de 100% do esgoto do município nos prazos determinados pela Justiça. A informação foi confirmada na noite de ontem quando a Sabesp publicou fato relevante aos acionistas dando conta de uma grande negociação.

Segundo a Folha Metropolitana apurou, com a negociação, a Sabesp congela os R$ 3,2 bilhões da dívida que o Saae contraiu junto à empresa estadual ao longo dos últimos 20 anos, a maior parte devido ao não pagamento das contas mensais de consumo de água entre 2001 e 2016. O pagamento será equacionado ao longo do período de concessão.

A negociação prevê ainda investimentos de R$ 1,7 bilhão da parte da Sabesp que serão utilizados no abastecimento de água em Guarulhos para zerar o rodízio e modernizar a rede em toda a cidade. Haverá ainda R$ 1,3 bilhão em investimentos em coleta e tratamento de esgoto para cumprir os Termos de Ajuste de Conduta, firmados entre o Saae e o Ministério Público Estadual.

O prefeito Guti confirmou a concessão aos vereadores da base do governo durante reunião ontem. No entanto, ele fez questão de incluir nas negociações a formação de uma comissão, com a participação dos servidores, para preservar o quadro de funcionários da autarquia, que hoje conta com 1.056 funcionários. Estão previstos programas de aposentadoria e de saída voluntária, além da absorção dos demais tanto pela Prefeitura como pela própria Sabesp.

Imagem: Rômulo Magalhães