Rubéola e difteria podem voltar para o Brasil, alerta Sociedade Brasileira de Imunizações

Lucy Tamborino

A difteria e a rubéola têm preocupado a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). As duas estão na mira da entidade científica, diante do cenário atual do país e do mundo. “A difteria é uma doença que ameaça voltar, já que existe um surto na Venezuela”, comentou Isabella Ballalai, vice-presidente da associação. “Se o sarampo voltou pode acontecer a mesma coisa com a rubéola. A vacina para as duas é a mesma”, completou.

No dia de 17 de agosto aconteceu a primeira morte por sarampo no país, depois de mais de 40 anos do último surto da doença. Agora o Ministério da Saúde tem lançado diversas campanhas para tentar conter novamente a enfermidade. “Nossas coberturas vacinais são baixas e a partir do momento que uma pessoa com sarampo de outro país encontrou uma pessoa não vacinada isso aconteceu”, esclareceu.

De acordo com Isabella, os brasileiros têm deixado a vacinação de lado porque se esqueceram das doenças. “As pessoas com menos de 30 anos não se preocupam e os médicos também não. Quando eu tenho muito medo eu faço qualquer coisa. As fake news também têm deixando a população em dúvida e isso afeta a taxa de cobertura vacinal”, disse.  

Ela ainda destacou que as vacinas são seguras e foram responsáveis por salvar trilhões de vidas. “Até mesmo uma dipirona tem mais evento adverso do que a vacina”, apontou.

Atualmente a cobertura vacinal no Brasil varia de 70% a 80%, dependendo da vacina, o que torna o país vulnerável. “Vacinar é proteger a si e o país fica protegido por tabela. A única maneira de evitar que novas doenças sejam reintroduzidas no país é mantendo 95% da faixa vacinal”, finalizou.

Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil