Região São João/Bonsucesso concentra a maior parte dos quase seis mil casos de dengue registrados na cidade

PORTO ALEGRE, RS, BRASIL, 20.03.13: Foram investidos R$ 2,6 milhões no combate ao mosquito da dengue. Foto: Alina Souza/Palácio Piratini

Mayara Nascimento

Os casos de dengue continuam avançando na cidade. Segundo balanço da Secretaria da Saúde divulgado ontem a cidade já contabiliza 5.916 registros até o momento. Até a semana passada eram 5.759 mil registros.

A região do São João/Bonsucesso é a campeã em casos na cidade. A soma resulta em 2.737 registros, representando 46% da cidade inteira. Os bairros com maior número na região são Haroldo Veloso com 541 casos, Cidade Seródio com 465 e a Cidade Soberana com 316.

Os soldados do Tiro de Guerra e os agentes de Saúde estão atuando juntos no combate do mosquito transmissor da doença, e até o momento nenhuma morte foi registrada.

Médico explica a doença

Com a chegada do inverno e com menor frequência das chuvas, a tendência é que o número de casos diminua. O médico Doutor Alexandre Chieppe, que estuda o mosquito Aedes aegypti e trabalha com assistência e prevenção de dengue há 19 anos, conta que mesmo assim a população deve manter o cuidado, principalmente com as piscinas descobertas e não cuidadas. A dengue possui quatro tipos de vírus e o Brasil teve a reentrada do vírus tipo 2, o que vem causando um novo surto em diversas cidades. “A pessoa pode ficar doente quatro vezes, pois são quatro tipos de vírus. Quem pegou a dengue tipo 1, já está imunizada e não pegará novamente”, afirmou Chieppe.

O recomendado é procurar um médico assim que começar a perceber os sintomas, principalmente se houver febre alta de forma repentina. “O mosquito Aedes aegypti transmite três doenças diferentes. É difícil fazer a diferenciação do diagnóstico sozinho, por isso é importante sempre procurar um serviço de saúde e evitar a automedicação”, complementou.

A dengue não tem cura, e depois de identificada por um profissional de saúde, o paciente deve tomar analgésicos para a dor e para a febre. Além disso, é sempre importante se manter hidratado para evitar que se transforme em dengue hemorrágica, que pode levar a morte.

Imagem: Aline Souza/Palácio Piratin