Região Oeste… Onde Sol repousa nas águas do Lago Vila Galvão

A Região Oeste de Guarulhos é o “berço”, onde o Sol repousa nas águas do Lago Vila Galvão, antigo Parque Balneário. O primeiro complexo esportivo e cultura da nossa cidade, com 115 anos de existência. A Região Oeste de Guarulhos é composta por 4 bairros: Vila Galvão, Jardim Vila Galvão, Tranquilidade e Itapegica. A origem histórica dos nomes dos bairros, bem como a lista oficial de todos os loteamentos, denominados vilas, jardins, parques farão parte da sequência das publicações, de 2022.                                                                            

Agraciada com o pôr do Sol, farta quantidade de água, argila, entre outros atrativos naturais e geográficos, a Região Oeste começou o seu processo de urbanização no início do século XX. De acordo com registro escrito – do Museu Histórico de Guarulhos – o atual Lago Vila foi fundado por Carlos Reis, em 1906. Ele era proprietário da Fazendinha Cabuçu, cujas dimensões chegavam, à atual avenida Timóteo Penteado, bem como às margens do rio Cabuçu divisa de Vila Galvão, com Jaçanã.                                                                            

Em 1909, Francisco Gonzaga de Vasconcellos adquiriu, por meio de compra, passando a morar com a família na casa-sede da fazendinha Cabuçu, projetada pelo arquiteto Ramos de Azevedo (1908). Sendo a atual sede do teatro Nelson Rodrigues, modificada por reformas. Até a década de 1960, o Parque Balneário Vila Galvão foi o maior complexo esportivo e cultural da cidade. Atualmente é uma das localidades mais belas, valorizadas e frequentadas do município.                                                                              

Cinco anos antes, da implantação da estação do trem da Cantareira (Vila Galvão, 1916), se deu em 1911, a instalação da primeira indústria de Guarulhos, em Vila Galvão (Cerâmica Paulista). Sendo Francisco Gonzaga de Vasconcellos o pioneiro. A moderna maquina da Cerâmica Paulista foi importada da Alemanha. Era movida a vapor (lenha e água). A produção diária chegava a 30 mil unidades: tijolos e telhas. Em frente à indústria residiam, em 10 casas da cerâmica os trabalhadores, na “Vila dos Operários”. Os trabalhadores da Cerâmica e do Trem da Cantareira fundaram o “Clube União Operária Beneficente Portuguesa”, também, o Grupo dos Teatristas de Vila Galvão, para difusão de ideais classistas. (Aceiro, 2002, p. 79). A origem do nome vila “Galvão” vem de Monsenhor Ezechias Galvão da Fontoura, bispo e sócio da Cerâmica Paulista.                                                                           

Entre tantos aspectos relevantes da região é oportuno citar, brevemente, a história do teatro Padre Bento, que se acha no antigo Sanatório Padre Bento (1931). O teatro Padre Bento é mais antigo da cidade, foi inaugurado, em 1937. De estilo arquitetônico arte decó (artes decorativas) foi projetado, pelo engenheiro Francisco de Palma Travassos. Construído com recursos do Governo do Estado de São Paulo, pelos e para uso dos portadores de hanseníase. Após o controle da hanseníase, o complexo Padre Bento, bem o teatro foi aberto à população de Guarulhos, a partir da década de 1970. A região tem mais, a ser contada.

- PUBLICIDADE -