Quadras de futsal estão ‘sumindo’ da cidade

Guilherme Derrico

O futsal, esporte muito praticado antigamente em Guarulhos e que já revelou grandes craques para o cenário nacional, como Lenísio, Simi, Índio, Caio, Oito Meia, entre outros, todos com passagem pela seleção brasileira, tem perdido espaço na cidade. As quadras estão ‘sumindo’ da região, dando lugar ao gramado sintético, o popular society.

Segundo Eduardo Farias, publicitário e praticante de futsal, a questão econômica influencia diretamente nessa realidade. “Na maioria dos casos, os terrenos são de terceiros e não dos responsáveis pela quadra, e para os donos é mais rentável vender para a construção de prédios e estacionamentos do que receber o aluguel do espaço. Para novos locais, é mais barato construir uma quadra de society do que criar um ginásio de futsal”, afirma.

De acordo com Farias, o society é um estilo de jogo mais parecido com o futebol de campo, o que ajuda na adaptação de novos praticantes por guardarem posições fixas nas partidas. “Geralmente, os praticantes de society jogam por brincadeira, as famosas ‘peladas’’, enquanto no futsal ocorre mais jogos amistosos e campeonatos. O posicionamento próximo ao futebol de campo, onde as posições são fixas, com menos movimentação do que o futsal, ajuda na adesão de novos praticantes ao society”.

Com o sumiço das quadras, o publicitário teme por uma queda do futsal guarulhense no cenário nacional. “A diminuição das quadras faz cair o interesse dos jogadores, portanto, fica difícil o surgimento de bons novos atletas”, conta Farias.

Para Eduardo, o apoio dos governantes locais é fundamental para o desenvolvimento e manutenção do alto nível da modalidade na região. “Sem o apoio e investimento da Prefeitura, sem parcerias privadas, o futsal de alto nível tende a sumir da cidade, dando mais espaço ao futsal amador, que se mostra mais organizado”, finaliza.

Foto: Fábio Nunes Teixeira