Projeto lúdico Brincando com Pipas conclui formação de 50 educadores da rede pública em Guarulhos

Quem diria que de uma gostosa brincadeira de infância surgiriam oportunidades para transmitir, de maneira lúdica e eficiente, conceitos tão importantes para crianças e adultos como a segurança na hora do lazer e a relevância da saúde emocional? Desde 2018, esse é o diferencial do Brincando com Pipas, projeto desenvolvido pela empresa híbrida de educação Evoluir, com patrocínio da EDP, por meio do Instituto EDP e implementado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Guarulhos. Cinco escolas da região participam da iniciativa e ao final desta primeira quinzena de novembro, 50 educadores concluirão a etapa de formação, estando aptos a conduzir as atividades para os cerca de seis mil alunos do 1º ao 5º ano ao longo de 2021.
 

“O Brincando com Pipas nasceu de uma necessidade específica de conscientizar as crianças sobre o perigo de brincar com pipa próximo à rede elétrica, prevenindo acidentes”, conta a coordenadora de projetos educacionais da Evoluir, Irene Silva. “Com o apoio da EDP, elaboramos uma metodologia em que os alunos participam ativamente de todas as ações, que envolvem desde a confecção de uma pipa até palestras e contação de histórias, abordando o uso consciente da energia elétrica e valores como ética e cidadania”, destaca. “Contudo, com a pandemia percebemos não só a necessidade de adequar as atividades para o formato online, mas também trabalhar com os professores sobre como cuidar de sua saúde emocional e promover isso com seus estudantes”.
 

A coordenadora acrescenta que nos seis encontros realizados, também foram exploradas estratégias para utilizar a Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) para fortalecer o desenvolvimento e protagonismo dos estudantes. “O objetivo é estimulá-los a criar iniciativas que ajudem a levar para comunidade a reflexão sobre a importância de brincar com pipa em segurança”, explica Irene. Os participantes receberam ainda inspirações de atividades com as turmas durante o período de aulas à distância e os alunos, um jogo de tabuleiro que reforça os conceitos transmitidos, além de assistir a contação de história Sofi, a pipa bailarina. “A formação termina agora em novembro, mas o projeto continua no próximo ano, quando os educadores terão a oportunidade de trabalhar os conteúdos aprendidos presencialmente, convidando os estudantes a colocar a mão na massa e desenvolver suas próprias ações que ajudem a conscientizar mais pessoas sobre a importância de brincar com pipa com segurança”.
 

“O Brincando com Pipas traz a importância de cuidarmos da nossa vida e da vida das pessoas que amamos, sem deixarmos a diversão de lado”, acredita a educadora Marcela da Silva Nogueira, da EPG Tom Jobim. “A aprendizagem baseada em projetos é muito rica e desafiadora, os alunos estão sempre realizando tarefas, investigando e conhecendo a realidade em que estamos inseridos”, ressalta. ”Eu nunca tinha trabalhado com essa metodologia e, nesses dois anos, incluindo nesse momento de pandemia, pude perceber o quão importante deve ser a atuação dos professores na condução do projeto e em todas as atividades que propomos”, diz Marcela. “Aprendi sobre muitas coisas, mas principalmente, a pensar novas técnicas ou maneiras de trabalhar a atenção dos alunos, o quanto é importante fazer com que as crianças entendam o que é brincar com segurança, a escutar e tentar despertar a sua curiosidade, esses aprendizados eu levo para a minha vida”, completa.
 

“A educação não é estática, assim o projeto conecta o conhecimento de si e do outro à prática gradativamente”, analisa a educadora Daniela Santos da Silva, da EPG Edson Nunes Malecka. “Atividades dinamizadas propuseram ações para atingir as crianças frente à pandemia, a equipe da Evoluir acolheu os professores em meio ao caos de um planeta, proporcionando o bem estar emocional, ensinando o lugar de conforto que reside dentro de nós”, recorda. “Além de práticas de autocuidado, nos direcionaram a soluções para os dias atuais, em um processo em que a criança contribui e participa ativamente em escolhas responsáveis, tanto em relação às pessoas como ao ambiente em que está inserida”, acrescenta. “Me sinto enriquecida ao me deparar com ajustes e novas abordagens, em qualificar meu olhar”, finaliza. 
 

Participam do Brincando com Pipas as escolas da rede pública de Guarulhos EPG Jorge Amado, EPG Vereador Gilmar Lopes, EPG Mário Quintana, EPG Tom Jobim e EPG Professor Edson Nunes Malecka.
 

Confira as principais dicas para empinar pipas de forma segura:

– O uso de cerol (mistura de pó de vidro com cola) é proibido e pode acarretar pagamento de multa pelo responsável. O cerol é um risco para motociclistas e pedestres e oferece perigo no contato com a rede de energia. Ao cortar a camada protetora da fiação, a linha interrompe a transferência de corrente elétrica, podendo provocar curto-circuito;

– Arremessar objetos na rede elétrica para o resgate da pipa pode causar graves acidentes. O “lança-gato” (pedras presas a uma linha) ou qualquer outro item condutor de energia não devem ser lançados sobre a rede;

– Empinar pipas em locais como lajes e muros deve ser evitado. A proximidade com a rede elétrica aumenta o risco de acidentes;

– É expressamente proibido invadir as subestações da EDP para recuperar pipas. Esses locais são energizados e somente pessoas autorizadas podem entrar nas estações;

– Um acidente causado por descarga elétrica pode deixar sequelas como queimaduras e até causar a morte.

Vale lembrar que, em caso de solicitações ou qualquer anormalidade na rede da Concessionária, os consumidores devem entrar em contato com a EDP, por meio dos seguintes canais:

– Site EDP Online: www.edponline.com.br

– Aplicativo EDP Online (compatível com as plataformas Android™, iOS e Windows Phone)

– Agências de atendimento (o endereço de cada ponto pode ser encontrado no site EDP Online)

– Central de Atendimento ao Cliente: 0800 721 0123 (ligação gratuita, 24 horas/sete dias por semana).
 

Sobre o Brincando com Pipas

Criado e executado pela Evoluir, o projeto Brincando com Pipas tem o objetivo de conscientizar crianças e adolescentes sobre o brincar com segurança, a fim de prevenir acidentes com as redes elétricas. Na prática, a iniciativa estimula desde a confecção de uma pipa até o estudo interdisciplinar da brincadeira, considerando conceitos da física, arte e história, além de abordar o uso consciente da energia elétrica e incentivar valores como a ética e a cidadania.   Com metodologia estruturada nos pilares sensibilização, mobilização e ação, o projeto conta com uma etapa de formação dos educadores para que eles possam desenvolver projetos práticos com os alunos, em sala de aula. E, ainda, dialoga, especialmente, com quatro ODS-agenda 2030 (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas).