Privatização da Sabesp garantirá conta de água até 10% mais barata em Guarulhos já em setembro

Foto: Rita Maria/PMG
- PUBLICIDADE -
Corrida Folha Metropolitana

A privatização da Sabesp irá garantir uma tarifa de água até 10% mais barata em Guarulhos, que beneficiará principalmente os moradores que ganham menos, inscritos na tarifa social da companhia estadual. Além disso, até o final do contrato com Guarulhos os investimentos da Sabesp na cidade terão um aumento de 112%. Os números foram passados pela secretária estadual de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística, Natália Resende, ao prefeito Guti e a vereadores na manhã desta terça-feira (14) no Paço Municipal.

Já aprovada pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, a privatização, que deverá ser sancionada pelo governador Tarcísio de Freitas nos próximos meses, prevê que até setembro deste ano os cerca de 350 mil moradores de Guarulhos beneficiários da tarifa social de água tenham sua conta reduzida em 10%. Já a tarifa residencial normal cairá 1%, contra 0,5% das tarifas comercial e industrial.

Por sua vez, os investimentos contratuais da companhia em Guarulhos chegarão a R$ 12,7 bilhões até 2060, com destaque para um significativo aumento de R$ 158 milhões para R$ 353 milhões ao ano somente no tratamento de esgoto até 2029, o que permitirá sua universalização na cidade e representa um incremento de 124% na comparação com a previsão de investimentos sem a privatização.

“Os investimentos não se resumem a obras, eles garantirão também uma maior eficiência operacional, com uma mais rápida volta na distribuição de água em caso de intercorrências como vazamentos em adutoras”, afirmou a secretária Natália Resende. De acordo com ela, a renovação na atual infraestrutura de distribuição e coleta de esgoto também está incluída nos investimentos.

Para garantir o tratamento de esgoto em toda a cidade a Sabesp aumentará os aportes financeiros nas cinco estações (ETEs) que atendem Guarulhos (São João, Bonsucesso, Várzea do Palácio, Parque Novo Mundo e São Miguel – as duas últimas na capital) e nas estruturas que levam os dejetos até elas, como coletores-tronco e estações elevatórias, além de construir duas novas ETEs, no Cabuçu e no Jardim Fortaleza.

“Estamos levando saneamento básico adequado para toda a cidade. Guarulhos já é um exemplo de distribuição de água e em breve será também de tratamento de esgoto”, afirmou Guti. Quando o prefeito assumiu a administração municipal, no início de 2017, a cidade tratava apenas 2,12% do esgoto que produzia devido à falta de investimentos das gestões anteriores.

- PUBLICIDADE -