Prefeitura terá agente da Interpol para investigar contratos

Por Rômulo Magalhães

Até o final deste ano, a prefeitura receberá um agente da Interpol (International Criminal Police Organization) para focar na área de inteligência e levantamento de contratos investigados pela Controladoria Geral do Município (CGM). A informação foi confirmada pelo controlador do município, Edmilson Bruno.

Júlio Justo trabalha há 42 anos na Polícia Federal e será um dos diretores da CGM. “Ele virá para fazer investigação na rua, levantamento de dados, investigar empresas que querem entrar no município”, explicou o controlador. Atualmente, Justo se encontra em Lyon, na França, sede da polícia internacional.

Além de investigação de contratos e levantamento de dados, o agente da Interpol também vai apurar a evolução patrimonial dos servidores públicos. “Não só do próprio servidor como de toda a família. Isso é uma coisa que não tinha antes”, frisou o controlador.

Além dele, a CGM contará com mais dois policiais federais, todos com mais de 30 anos de experiência. Em abril, toma posse a ex-corregedora geral da Polícia Federal que será ouvidora da controladoria. Virá ainda um diretor para ficar responsável pela área de transparência. Os nomes deles não foram divulgados.

Hoje a controladoria está com metade do efetivo mínimo para poder operar, segundo Bruno. Esse é o motivo do recrutamento de mais pessoas. “Hoje 20 pessoas trabalham. Precisaríamos no mínimo de 40 pessoas”, disse o controlador que é delegado federal e se licenciou do cargo a pedido do prefeito Guti, para assumir a função de controlador-geral no município.

 Interpol
A Interpol é a polícia internacional que atua na área de inteligência, que é a busca dos dados em si, e coordenação de operações. É encarregada de crimes que não se restringem às fronteiras de um só país. Com 181 países filiados, a Interpol é a segunda maior organização internacional, atrás apenas da Organização das Nações Unidas (ONU), com 191 países membros.

Foto: Rômulo Magalhães