Prefeitura lança programa ‘Cuidando’ e gera 100 postos de trabalho para os cadastrados no CadÚnico

Mayara Nascimento

Ontem foi lançado oficialmente o programa de zeladoria social “Cuidando”. A iniciativa criou 100 postos de trabalho para os cidadãos em situação de vulnerabilidade social, cadastrados no CadÚnico. Os contratados serão responsáveis pela zeladoria da cidade, e realizarão serviços de roçagem, varrição de rua, pintura de guia, poda de canteiros entre outros.

“Esse programa é uma vitória para a cidade. Muitas pessoas estão desempregadas, e não conseguimos resolver o problema de todo mundo, mas aos poucos podemos ajudar as famílias. Serão 100 pessoas que irão se dedicar e terão suas vidas transformadas”, celebrou o prefeito Guti.

Com remuneração de R$ 700 por mês, e em sistema de contratação CLT, os funcionários trabalharão de segunda-feira a sexta-feira, em jornada de seis horas diárias. Todos terão direito a férias, 13º salário, café da manhã e outros benefícios garantidos por lei. “É um programa que visa à zeladoria e a questão humanitária, de inserção no mercado de trabalho”, afirmou o secretário de Desenvolvimento e Assistência Social, Alex Viterale.

O programa tem duração de seis meses, sendo possível prorrogar por mais seis. Segundo Guti, o investindo mensal será de, aproximadamente, R$ 100 mil. Os contratados passarão por uma capacitação de 20 dias, que tem início na segunda-feira (02).

Guti quer Zona Azul de volta na cidade até março

Depois de quase dois anos, a cidade deve voltar a ter o sistema de estacionamento rotativo ainda neste semestre. O prefeito Guti quer que a Zona Azul funcione até o final de março, e uma nova licitação deve ser iniciada nos próximos dias. Guarulhos está sem a cobrança desde março de 2018.

“Estamos finalizando a modelagem. Tínhamos terminado, mas agora já existe algo mais moderno no mercado, com mais tecnologia, então estamos mudando o escopo para ficar mais atrativo economicamente para o futuro parceiro da cidade”, disse Guti.

Em julho do ano passado a licitação foi suspensa pela própria prefeitura para adequações no edital. O certame já havia sido suspenso outras duas vezes pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP). Entre as tecnologias previstas, o prefeito citou o controle e fiscalização por aplicativo, além da compra do bilhete pelo celular.

Imagem: Mayara Nascimento

- PUBLICIDADE -