Prefeitura finaliza processo de lacração de imóvel na avenida Paulo Faccini

Assunto:Lacração Lojas Americanas Local:Avenida Paulo Faccini - Bosque Maia Data:12.04.2019 Foto:Sidnei Barros/PMG

Da Redação

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano lacrou na tarde desta sexta-feira (12) o imóvel localizado na avenida Paulo Faccini, nº 1100/1112, ao lado do Bosque Maia. O local havia sido invadido por pessoas em situação de rua que estavam acumulando lixo, gerando diversas reclamações por parte da população.

A ação, iniciada na quarta-feira (10), foi desenvolvida em conjunto com as secretarias de Obras, Desenvolvimento e Assistência Social (SDAS) e Serviços Públicos, além da Guarda Civil Municipal (GCM) e Proguaru.

Durante toda quarta- feira e quinta-feira, as equipes da Proguaru realizaram a limpeza do espaço, removendo do local 10 caminhões de resíduos. Uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) realizou na quinta-feira a desratização do prédio.

Segundo o secretário Jorge Taiar (SDU), o prédio estava interditado desde o último dia 8 de fevereiro, por uma série de problemas, de segurança à salubridade. “O proprietário foi notificado preliminarmente para realizar a limpeza e conservação do imóvel, enquanto a GCM havia removido as pessoas que estavam usando o local como moradia. Mas sem retorno do mesmo e com as novas invasões ao local, nos restou apenas a alternativa de lacrar o prédio”, afirmou.  

 Ações

Na quarta-feira, 12 pessoas foram retiradas do local pela GCM. Segundo o inspetor do Centro de Gestão de Patrulhamento Especializado (CGPE), José Aparecido Vitor, entre elas, haviam dois menores de idade e uma grávida. “A maioria deles tem diversas passagens por furto e tráfico de entorpecentes. Contudo, nada de ilícito foi encontrado, apenas equipamentos para uso de drogas”, informou.

Já o Departamento de Assistência Social da SDAS realizou o acolhimento dos moradores. Segundo Fábio Cavalcante, diretor responsável pela ação, apenas cinco pessoas aceitaram ser encaminhadas para o Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro POP) para receber o atendimento e encaminhamentos necessários.

Comerciante da região, Adenilson Benedito disse que acompanhou desde o começo a invasão no local e inclusive realizou uma denúncia formal em uma das unidades da Rede Fácil. “A situação estava atrapalhando o comércio da região. As pessoas têm medo de passar por aqui porque eles coagem, ficam pedindo dinheiro, fora o cheiro e a sujeira que estavam dentro do prédio. Eu tenho que fechar as portas cedo, porque a noite fica muito perigoso. Agora com as ações da prefeitura nós temos uma esperança de melhora, né?”, avaliou.

Imagem: Sidnei Barros / PMG