Projeto de reaproveitamento das sobras de feiras livres passa por reformulação

Lucy Tamborino

Ao contrário do ano passado, quando os restos de pelo menos duas feiras livres eram armazenados e reaproveitados pela prefeitura, este ano a destinação dos itens é incerta e fica a cargo dos feirantes. Isso porque a Secretaria de Serviços Públicos interrompeu o projeto para uma reformulação.

A medida no ano passado foi lançada nos primeiros dias de julho. Nela, os feirantes eram orientados a acondicionarem as frutas e hortaliças que seriam descartadas em recipientes cedidos pelo governo. Os itens serviam com uma ferramenta da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social que aproveitava as cascas e talos de frutas e verduras, aumentando o valor nutritivo (fonte de fibras) dos alimentos e encaminhava para os Restaurantes Populares, Casas de Acolhimento para moradores de rua e famílias em situação de vulnerabilidade.

As sobras dos itens ainda eram destinadas a complementação da alimentação dos animais do Zoológico de Guarulhos. Nem os resíduos orgânicos eram descartados, foram destinados para a compostagem.

No projeto, inicialmente, haviam sido comtempladas as feiras livres da rua Marcolina Moreira, na Vila Moreira, que ocorria às terças-feiras e a da rua Neuza Luongo, no Jardim Rosa de França, às quartas-feiras.

Imagem: Márcio Lino