População carcerária cai 9% em Guarulhos; presídios ainda lidam com superlotação

Lucy Tamborino

As unidades prisionais de Guarulhos fecharam o ano passado com um total de 6.772 detentos. O valor representa uma queda de 9%, já que em 2018 eram 7.457 pessoas privadas de liberdade no município. Mesmo com a queda, a superlotação nas unidades é uma realidade, já que elas possuem uma capacidade de pouco mais de quatro mil pessoas.

Na penitenciária José Parada Neto I a capacidade é de 881 presos, no entanto havia no final do ano passado 2.064 detentos. Já na Desembargador Adriano Marrey II o total era de 2.262 ante uma capacidade de 1.268.

O mesmo cenário se aplicava aos Centros de Detenção Provisória instalados no município. No CDP I a capacidade é de 844 presos, mas havia 1.270 detentos no período. Já no CDP II foram contabilizadas 1.176 pessoas em relação as 841 vagas destinadas.

Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) afirmou que, desde o início do Plano de Expansão de Unidades Prisionais, entregou mais de 26 mil vagas no estado. E que, até o momento, já teriam sido inauguradas 31 unidades (sendo cinco em 2019).

O órgão também destacou que outros sete presídios estão em construção com previsão de entrega este ano. A pasta ainda afirmou que tem investido fortemente na ampliação do programa de Centrais de Penas e Medidas Alternativas (CPMAs). Atualmente, existem 86 CPMAs que oferecem vagas para prestação de serviço à comunidade (que substitui a pena de prisão) para mais de 19 mil pessoas. Desde o início do programa, que começou em 1997, mais de 200 mil pessoas passaram por ele.

- PUBLICIDADE -