PM ajuda nas ações contra o coronavírus

Os dias ensolarados têm levado famílias inteiras para praias da Baixada Santista e Litoral Norte. Em tempos de pandemia, com a quarentena estabelecida, devemos evitar as viagens especialmente com aglomerações – como temos acompanhado nos últimos finais de semana. Estradas lotadas tanto para praias como para municípios do Interior.

Nessa linha, desde que o coronavírus começou a circular e ganhou força, policiais militares têm trabalhado em diversas cidades do litoral paulista para prestar apoio. Neste feriado de 7 de Setembro, houve uma operação especial para reforçar o policiamento em auxílio aos agentes municipais na fiscalização de comércios e uso de máscaras de proteção contra o vírus: a Operação Independência do Brasil 2020. 

Ao todo, 400 PMs estiveram na operação com o Regime da Cavalaria, Rondas Ostensivas com o Apoio de Motocicletas, a Rocam, e helicópteros Águia. Isso somente no litoral. A boa notícia é que muita gente entendeu e atendeu as orientações da polícia e dos agentes que já trabalham nas cidades.

Nas praias, a Cavalaria patrulhou calçadões à beira mar e chamou a atenção das crianças, que chegaram a parar com seus pais para agradar e tirar fotos com os cavalos. Precisamos ser mais conscientes neste período tão crítico na área da saúde. Proteger nossos filhos, idosos e a todos que nos cercam é importante e isso deve ser mantido.

Infelizmente, ainda há casos em que as pessoas desrespeitam as regras, não usam máscaras e insistem em permanecer em locais com grande aglomeração. Diante disso, a PM continuará prestando apoio nessa prevenção e conta com a colaboração de todos nessa jornada.

A Operação Independência no Estado foi desencadeada no último dia 4 com término no dia 7, segunda-feira. O efetivo empregado em todo Estado de São Paulo – praia e Interior – foi de 32.347 policiais e 32.346 viaturas. Ainda nesse período, houve 16 vítimas fatais por afogamento.

Em dos casos de afogamento, na Baixada Santista, um policial da reserva ajudou uma criança que estava no mar e acabou morrendo. Trata-se do Sargento Mantovani que estava com a família e diante da cena resolveu ajudar a menina em perigo. Ele tinha 60 anos e trabalho na Corporação durante 30 anos. Cumpriu a missão de proteger vidas.  

Coronel Alvaro B. Camilo