PF foca em propina para barrar processos em tribunal de Ética da OAB de São Paulo



A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira, 17, a para apurar supostos crimes de corrupção envolvendo a seccional da paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP). A corporação indica que o grupo investigado teria solicitado propina de R$ 250 mil para atuar junto ao Tribunal de Ética e Disciplina da OAB para encerrar processos disciplinares em tramitação, bem como retirá-los de pauta.

Agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de São Paulo e Guarulhos. Segundo a PF, a investigação teve início em setembro, após o recebimento de uma denúncia por parte de um advogado que informou ter sido vítima de uma investida supostamente realizada por um grupo composto por um empresário e dois advogados, um deles membro do Conselho Secional da OAB.

Os investigados poderão responder pelos crimes de corrupção passiva, associação criminosa ou organização criminosa, a depender da evolução das investigações, informou a Polícia Federal.

Segundo a corporação, o nome da operação faz referência ao significado da palavra Biltre – “diz respeito a quem age de forma vil, canalha, infame, desprezível, o que bem exprime o comportamento do grupo investigado, o qual se dispõe a cometer ou a influenciar que se cometam atos de corrupção dentro de um órgão da Ordem dos Advogados do Brasil que se pressupõe absolutamente probo, qual seja, o Tribunal de Ética e Disciplina”.