Pesquisa investiga como pessoas sentem passagem do tempo durante a quarentena

Pesquisadores da Universidade Federal do ABC (UFABC), do Instituto do Cérebro (InCe) do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein e a empresa NeurUX desenvolvem pesquisa para saber como as pessoas estão sentindo a passagem do tempo durante a quarentena. Medidas de isolamento social têm sido adotadas em diversos países como parte das ações para conter o avanço do novo coronavírus.

A pesquisa é feita de forma online e pode ser realizada em 15 minutos, pelo site da UFABC, de acordo com informações da Agência Fapesp. Os pesquisadores fazem parte do Timing and Cognition Laboratory, do Centro de Matemática, Computação e Cognição da UFABC.

O InCe é um centro voltado para pesquisa e aplicações terapêuticas em neurociências com foco no estudo do envelhecimento. A equipe é formada por médicos, pesquisadores, especialistas, enfermeiros e biomédicos, que se dedicam a estudos de condições neurológicas, como a doença de Alzheimer, Parkinson, AVC, cefaleias e outras.

A NeurUX é uma empresa que já teve apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Ela reúne um time de neurocientistas, desenvolvedores e cientistas de dados voltados a desvendar a experiência do consumidor diante de produtos e serviços. O grupo usa princípios de neurociência, psicologia cognitiva e ciência de dados.