Pesquisa aponta Sabesp como uma das instituições mais confiáveis

O governador Geraldo Alckmin durante anúncio do aumento da captação de água para o abastecimento do Alto Tietê. Data: 27/01/2015. Local: Suzano/SP. Foto: Edson Lopes Jr/A2AD

Da Redação

Em pesquisa divulgada pela Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência, em parceria com o Sesc São Paulo, a Sabesp foi a segunda empresa mais bem avaliada, com 52% de nível confiança, ficando atrás somente do Metrô, com 58%, e sendo uma das únicas quatro instituições a superar a marca de 50%.

A pesquisa “Qualidade de Vida” foi divulgada ontem e mostra um aumento de quatro pontos percentuais na avaliação recebida pela companhia, saltando de 48% em 2017 para 52% no ano de 2018. O crescimento é registrado apenas três anos depois de uma das piores estiagens da história, mostrando a credibilidade da população com relação aos serviços prestados pela empresa.

A expectativa é que a companhia estadual continue apresentando altos índices de satisfação junto aos cidadãos nos próximos anos. Isso através de investimentos e melhorias feitos pelo governador João Doria. Uma das possibilidades que vêm sendo apontada é a privatização da companhia, que pode gerar até R$ 10 bilhões ao governo do estado.

O levantamento revela a avaliação de moradores da capital paulista em relação a itens como saúde, educação, confiança nas instituições e avaliação administrativa. O estudo mostra que em 2018, em São Paulo, houve a interrupção de uma tendência – observada a partir de 2013 – de queda na confiança em relação a todas as instituições analisadas. Moradores do centro e da região oeste de São Paulo são os que se posicionam de maneira mais crítica em relação às instituições avaliadas.

Na lista, há ainda instituições como a Polícia Militar (50% de confiança), a Prefeitura de São Paulo (28%) e a Companhia de Engenharia do Tráfego, a CET, com 35% de nível de confiança.

A pesquisa entrevistou 800 pessoas entre os dias 4 e 21 de dezembro do ano passado. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Questionados sobre o grau de satisfação em relação à qualidade de vida na cidade, os paulistanos deram nota 6,3. O valor é superior ao registrado em 2017, quando a nota dada foi 6. Dois anos atrás, em 2016, a satisfação atingiu o nível mais baixo da série histórica da pesquisa: 5,4.

Imagem: Edson Lopes Jr/A2img