Pequenos empresários estão sem alternativas para manter empregos e sobreviver

Os comerciantes e pequenos empresários de Guarulhos pedem socorro. As medidas restritivas de circulação, por causa da pandemia do novo coronavírus, já duram mais de 60 dias e muitos empreendedores não sabem mais o que fazer para manter seus negócios ativos depois da quarentena.

De portas fechadas e sem vender seus produtos ou serviços, eles não possuem condições de continuar honrando com o salário de seus colaboradores. A solução apresentada pelo governo federal, de arcar com parte dos salários por 60 dias, já está com os dias contados. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais 1,5 milhão de brasileiros solicitaram o seguro-desemprego durante a pandemia.

E o pior: com mais de mil mortes por dia causadas pela Covid-19 no Brasil, segundo país com o maior número de infectados no mundo, dificilmente voltaremos às nossas rotinas tão cedo.

Diante dessa situação, os empreendedores se veem em uma encruzilhada. Ao mesmo tempo em que não conseguem bancar seus colaboradores, eles precisam da equipe para retomar às atividades, quando o comércio for reaberto.

Tenho conversado com muitos associados nesse momento difícil. Nesta semana, me deparei com a situação do empresário Irvando Secco, proprietário da tradicional Galvila Sports, loja de artigos esportivos com mais de 40 anos de mercado. Além dos salários de seus funcionários, Secco precisa se virar para não atrasar o aluguel dos imóveis onde seu estabelecimento funciona, na Vila Galvão e no Centro. “Com tanto tempo de comércio, nunca vi nada igual. Estou queimando os neurônios para encontrar uma solução”, disse-me o empresário.

O desespero de Secco se reflete em outros milhares de empreendedores guarulhenses que se encontram no mesmo drama. “O pior é que não sabemos quando poderemos reabrir a loja. Cria-se uma expectativa e, depois, ela é desfeita. É uma incerteza que causa angústia no comerciante”, completou o dono do Galvila.

Como presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos, sempre estive atento às demandas e dificuldades dos empresários de nosso município. Ouvi-los e dar voz a eles é algo que faz parte da nossa missão.

Desde o início dessa crise, estamos atentos e agindo em busca das melhores soluções para amenizar os seus efeitos aos nossos associados. Fomos os primeiros a reivindicar, junto ao poder público, a prorrogação dos vencimentos de impostos municipais, o que foi atendido. Isso para citar apenas um exemplo do que estamos fazendo pelo associado. É importante que todos se unam e se ajudem para superarmos essa fase da melhor maneira possível.

Sempre digo isso, porém é bom ressaltar: você, empresário, não está sozinho. Sempre que precisar, a nossa entidade estará à disposição.

Silvio Alves

Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos