Passageiros são vítimas de motoristas de transporte clandestino no Aeroporto de Guarulhos

Os passageiros que desembarcam no GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, vêm sendo vítimas de motoristas particulares que realizam o transporte clandestino. Segundo a Folha Metropolitana apurou, desde o final de 2019 um grupo vem se passando por motoristas de aplicativos, mas na verdade realizam o transporte de forma clandestina. A prática é recorrente no Terminal 2.

Muitos chegam a intimidar e ameaçar os passageiros, além de taxistas e motoristas regularizados para prestar esse tipo de serviço no terminal. Há relatos, ainda, de clonagem de cartões e extravios e bagagens.

“Esses arrastadores, como são conhecidos, chegam a intimidar com ameaças a taxistas e motoristas de ônibus regulamentados a fornecer o transporte. Sempre há ameaças e discussões por parte dos clandestinos”, afirmou um dos denunciantes que preferiu não ser identificado.

Em nota, a concessionária responsável pelo a esclareceu que “não pode exercer função de policiamento e que a fiscalização do trânsito na zona aeroportuária é realizada pela Polícia Militar, a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Transportes e Trânsito de Guarulhos”. Ela ressaltou, ainda, que “concede apoio na vigilância dos terminais e do trecho da rodovia sob sua concessão, fornecendo imagens e informações estratégicas, quando solicitada, e ainda alerta aos frequentadores do aeroporto quanto aos riscos do uso de transporte clandestino, por meio de sinalização específica nas áreas públicas dos terminais”.

Já a prefeitura informou que os agentes de trânsito não possuem o poder de polícia. Esse tipo de prática criminosa precisa ser coibida pela Polícia Militar.