Paralisação dos ônibus afeta 390 mil passageiros

Por Rômulo Magalhães

A paralisação dos ônibus ontem de manhã, em protesto contra a Reforma da Previdência, afetou 390 mil passageiros na cidade. De acordo com a Secretaria de Transportes e Trânsito, 64 linhas utilizadas por cerca de 300 mil pessoas, diariamente, não saíram da garagem nas primeiras horas da manhã. Já a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) informou que 85 carros da frota foram afetados e 90 mil pessoas tiveram seu percurso prejudicado.

Segundo a EMTU, a situação só começou a se normalizar a partir das 6h30. A empresa ainda frisou “que a paralisação, comandada por sindicatos de motoristas de ônibus locais, não tem nenhuma relação com questões salariais” e “é irresponsável”.

Um dos afetados foi o estudante João Pinheiro. Ele mora no Jardim Paraíso (região Taboão) faz faculdade em São Paulo e utiliza diariamente a linha intermunicipal para chegar ao local de estudo. Ontem ele não conseguiu. “Quando cheguei no ponto de ônibus estava lotado de pessoas. Utilizei outra linha e cheguei 30 minutos atrasado na faculdade”, explicou.

Para minimizar os impactos, a Secretaria de Transportes e Trânsito montou uma operação emergencial nos terminais, disponibilizando micro-ônibus (permissionários) para atender a região central. “A situação começou a normalizar a partir das 7 horas, com a circulação total da frota de ônibus”, diz nota da Prefeitura de Guarulhos.

A reportagem tentou falar com o presidente do Sincoverg (sindicato que representa a categoria dos motoristas), Maurício Brinquinho, mas não obteve retorno.

Manifestantes ateiam fogo em pneus na Dutra
Para complicar a manhã caótica sem a operação das empresas de ônibus, manifestantes atearam fogo em pneus e fecharam a via marginal da Rodovia Presidente Dutra, no km 214, sentido São Paulo. O protesto foi organizado pelo movimento Povo Sem Medo – Guarulhos.

De acordo com a CCR NovaDutra, concessionária que administra a rodovia, o registro de manifestação ocorreu às 7h55 e a pista foi liberada às 8h37. O pico de congestionamento no local foi de dois quilômetros.

Foto: Rômulo Magalhães