Parada Pedagógica discute Proposta Curricular da Rede Municipal de Educação

Da Redação

Garantir a discussão coletiva, levando em consideração à concepção de uma educação integral para crianças, jovens e adultos foi o foco principal da Parada Pedagógica, encontro que aconteceu na Secretaria de Educação e nas unidades escolares da prefeitura, reunindo professores, gestores, supervisores, pedagogos e demais profissionais de educação, na última sexta-feira (01).

O encontro, que priorizou debates sobre cidadania, direitos humanos e a participação coletiva na construção de uma sociedade mais justa e democrática, objetiva a reelaboração da proposta curricular do Quadro de Saberes Necessários (QSN) da Rede Municipal de Educação com alinhamento à Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Ao longo de toda a Parada Pedagógica, a Secretaria de Educação, por meio do Departamento de Orientações Educacionais e Pedagógicas (DOEP), supervisão, escolas da Prefeitura de Guarulhos e instituições parceiras se organizaram para garantir a discussão sobre a proposta curricular, para que toda a comunidade escolar tomasse conhecimento do documento, bem como levantar as contribuições de cada grupo.

No DOEP, a iniciativa foi organizada durante todo o dia com leitura coletiva do texto sobre educação integral, ciclo de debates e dinâmicas em grupos para leitura dos textos introdutórios e dos quadros, promovendo discussão entre os técnicos do departamento para alinhamento dos apontamentos sugeridos a serem lançados na Plataforma de Consulta Pública da Proposta Curricular, aberta até esta segunda-feira (04).

Segundo a diretora do DOEP, Solange Turgante, a intenção da Parada Pedagógica é que todos possam estar focados no mesmo propósito, permitindo uma discussão abrangente sobre o tema. “A educação integral objetiva o aprendizado da criança, adolescente, jovem e adulto em sua totalidade. Ela acontece em todos os espaços por onde ela transita e por um período que se estende por toda a vida. Considerando que há diversos momentos de aprendizagens, é necessário pensar como a escola faz uso desses espaços”, explicou a diretora. Solange apresentou o vídeo sobre Educação Integral do educador brasileiro Tião Rocha, e ressaltou ainda a importância da inclusão nas escolas públicas no acolhimento de crianças indígenas e refugiadas, que vem aumentando expressivamente.

Vivências, saberes e integração

Na EPG Tia Carmela, localizada na região do Bonsucesso, os pais foram convidados a vivenciar espaços que as crianças ocupam dentro da escola, relatar suas sensações, os tipos de aprendizagens e correlações com os saberes do quadro a partir da educação integral.

Os participantes percorreram diversos espaços lúdicos como a casa na árvore, piscina de bolinha, contação de histórias com fantasias de personagens, aula de como se faz massinha, dentre outros ambientes. Na sequência, os pais falaram dos sentimentos despertados com as atividades integradas e citaram palavras-chave que foram dispostas no quadro branco.

“É a primeira vez que estou participando de uma atividade como essa na escola, tendo a oportunidade de conhecer cada espaço e aprender com ele também. Ele chega em casa e conta como foi a história que aprendeu na escola e até me mostrou uma fruta que eu mesma não conhecia o nome. Eu fiquei surpresa com tudo que ele absorve durante a aula”, contou Beatriz Barbosa de Jesus, mãe do aluno Luciano Henrique, de 2 anos.

Simone Datoguea, diretora da unidade escolar, e sua equipe exemplificaram os saberes com a Proposta Curricular, mostrando para as famílias o uso e objetivos do QSN e a importância da presença de cada um no processo de construção coletiva.

“Desde 2009, a Rede Municipal já tem um currículo. Atualmente, estamos no momento de sua reformulação, uma oportunidade de retomá-lo e reorganizá-lo. Nesses últimos dez anos, muitos fatos aconteceram, como a incursão da tecnologia nas práticas pedagógicas, acesso à informação, inclusão social, direitos humanos, ética e cidadania e a relação com o meio ambiente, o que justifica a necessidade de atualização do currículo”, destacou a diretora.

A Parada Pedagógica também destacou vivências, saberes e integração para além da sala de aula, colocando em prática todo o trabalho coletivo. Para Fabiano da Silva Campos, pai do aluno Gabriel Barbosa de Campos, foi valioso participar desse momento. “É participando de atividades que acontecem na escola que podemos compreender muitas coisas, como por exemplo, porque as crianças chegam com as roupas sujas, pois é brincando que elas aprendem. Tudo foi muito bem explicado pela equipe escolar e por meio das experiências em grupos”.

Para a chefe de divisão técnica da Supervisão Escolar Melissa Pires Gomes, a atualização da Proposta Curricular é fundamental para o atendimento à legislação federal. “O QSN um dos pilares do Projeto político-pedagógico (PPP) da nossa rede, e a consulta pública para a construção do documento reforça o caráter democrático da gestão e do quão importante será o seu uso para a construção e fortalecimento dos currículos em cada unidade escolar”, ressaltou Melissa Gomes, sobre de processo de reelaboração da Proposta Curricular.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos