Palestra no Hospital da Criança aborda o processo de luto e a humanização da morte

O Hospital Municipal da Criança e do Adolescente (HMCA), em Guarulhos (SP), administrado pelo IDGT, realizou na quarta-feira, 14 de julho, uma palestra sobre o processo de luto e a humanização da morte. A aula foi ministrada por Fabiano Vieira, gerente de humanização da unidade.

Vieira iniciou sua exposição com uma dinâmica terapêutica em grupo. Logo após, falou sobre os protocolos de acolhimento no momento do luto, as fases deste processo para crianças e adolescentes e as reações diante dele (negação, raiva, barganha, depressão e aceitação). “O luto não é um obstáculo que devemos superar. É uma experiência de maior relevância que precisa ser vivida para que seu significado seja entendido. É um processo dinâmico e natural diante da perda de alguém importante para nós”, explicou o gerente.

O luto vivido na infância e adolescência, conforme Vieira, é diferente do enfrentado na fase adulta. Durante a palestra, o gerente deu orientações de como conversar sobre este processo com crianças e adolescentes, fez reflexões a respeito dos diversos rituais de despedida e mostrou alguns meios para ajudar os enlutados.

Dinâmica
Na roda, durante a dinâmica, o colaborador recebia um barbante e falava sobre um momento de perda. Em seguida, passava o barbante para outra pessoa. O processo se repetiu até todos estarem com o barbante em mãos. Na sequência, Vieira perguntou a cada um como a perda foi superada, enrolando o barbante de volta. “A dinâmica nos fez refletir sobre como é importante colocarmos pra fora aquilo que sentimos no momento de luto”, disse o diretor geral do HMCA, Leandro Bomfim, que participou da atividade.

Todas as atividades do HMCA seguem as normas de segurança da pandemia, como o uso de máscara e álcool gel. Os colaboradores do hospital já foram vacinados.