Ouro Preto possibilita uma viagem no tempo e na história

Da Redação

Ouro Preto, em Minas Gerais, é muito conhecida por sua arquitetura colonial. Foi o primeiro local brasileiro a ser considerado patrimônio mundial pela Unesco, em 1980, e abriga um magnífico conjunto arquitetônico barroco.

O ciclo barroco em Minas atinge a mais alta expressão com a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, ou simplesmente Igreja do Rosário. Planta revolucionária, é formada por dois corpos ovais, encaixados um no outro em forma de oito, e foi concluída na segunda metade dos anos 1700. A planta e a fachada curva a transformam em uma das maravilhas da arte mineira setecentista.

Outro ponto turístico amplamente visita é o Museu Aleijadinho. Reformado em 2007, foi criado em 1968 para preservar e expor objetos de arte sacra, de valor cultural, histórico e religioso. A estrutura funciona em um circuito formado por três igrejas da cidade: Santuário Nossa Senhora da Conceição de Antônio Dias, Igreja de São Francisco de Assis e Igreja Nossa Senhora das Mercês e Perdões. Nesses locais é possível contemplar obras de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, considerado o maior artista plástico de Minas.

Mas há ainda a Basílica de Nossa Senhora do Pilar, a Casa dos Contos, a Igreja do Carmo, o Museu da Inconfidência, o Parque Estadual do Itacolomi, entre outros.

Para quem quer conhecer as construções históricas com tranquilidade, o indicado é buscar períodos que não coincidam com festas e feriados prolongados. Quem busca agito, pode ir no Carnaval para assistir a desfiles de blocos formados por estudantes e em outubro, quando ocorre a Festa do Doze, com ruas animadas de dia e de noite.

Imagem: Ane Souz-PMOP