OMS pede vacinas para cobrir carência grave de países mais pobres

Países ricos estão retomando a atividade social e vacinando jovens que não correm grande risco de covid-19, enquanto os países mais pobres sofrem uma carência cruel de doses, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta sexta-feira(25), criticando um fracasso global.

A situação na África, onde as novas infecções e mortes saltaram quase 40% na semana passada quando comparadas com a semana anterior, é “muito perigosa” agora que a variante Delta se dissemina globalmente, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

“Nosso mundo está fracassando, como comunidade global estamos fracassando”, disse ele em uma coletiva de imprensa.

Tedros, que é etíope, repreendeu países não identificados por sua relutância em compartilhar doses com países de renda baixa. Ele comparou a situação com a crise de HIV/Aids, quando alguns argumentaram que nações africanas eram incapazes de usar tratamentos complicados.

“Quer dizer, esta atitude tem que ser uma coisa do passado”, disse o diretor-geral. “O problema agora é um problema de suprimento, deem-nos as vacinas.”

“A diferença é entre os que têm e os que não têm, o que está expondo completamente a injustiça do nosso mundo agora – a injustiça, a desigualdade, vamos dizer a verdade”.

Muitos países em desenvolvimento se saem muito melhor do que países industrializados em vacinações em massa de suas populações contra doenças infecciosas que vão do cólera à pólio, disse Mike Ryan, o maior especialista em emergências da OMS.

“O nível de paternalismo, o nível de mentalidade colonial que dizem ‘não podemos dar algo a vocês porque tememos que vocês não usem’. Falando sério, no meio de uma pandemia?”, afirmou.