O que podemos aprender com os nossos medos?

Gosto muito de uma parte de um filme do Will Smith “Depois da Terra”, onde ele fala com o filho dele, tentando instruí-lo sobre os problemas que está enfrentando e o filho dele fala que está com medo. A resposta dele foi bem interessante sobre o medo. Ele diz que o medo não é real. É algo que criamos e alimentamos para justificar algo. Mas ele não é real.

Analisando o medo, percebi que o medo não existe, não tem formato e nem nascemos com ele. Percebe que o recém nascido é desprovido de medo, única coisa que ele sente é fome.  O medo se desenvolve por situações do cotidiano que damos valor de medo a eles. Porem o significado do medo muda para cada um, sendo instalado em cada ser humano por si só e com formato diferente.

Então eu deixo uma pergunta: Qual é o seu medo? E qual é o motivo justificativo de você tê-lo?

Perceba o quão maluco é saber quando seu medo teve inicio e como ele foi tomando conta dos seus pensamentos. Em que situação você o sente e o que ele faz como resposta no seu corpo. Alguns apenas paralisam, outros entram em um frenesi com respostas mais adversas. Mas o medo só está dentro de você, ele não existe.

Conheço um exercício bacana para pessoas que sofrem de alguns medos que atrapalham ela viver uma vida tranqüila. Quando eu tenho medos ou sou tomado por pensamentos que me assolam, faço uma entrevista com o sentimento. Pergunto para ele (mentalmente), como se tivesse falando com uma pessoa. Questiono suas intenções, causas e razões para poder entender mais sobre a situação. E quanto mais perguntas eu faço, mais respostas eu tenho e mais tranqüilo vou me tornando.

Minhas respostas conectadas a solução criam um caminho e faz que eu enxergue mais a realidade, fomentando cada vez mais a minha coragem. Com isso a força do sentimento negativo ou medo vão perdendo forças, assim eu consigo ultrapassar a barreira que eu criei mentalmente.

Mas, não se engane e confunda medo com cuidado, por que não vou por mão na boca de um cachorro, não me debruçarei em um parapeito de um prédio. Por que eu sei o resultado. Mas o medo, aquele que te atrapalha a viver em plenitude, esse tem que ser minimizado e não deixá-lo interferir na vida como um todo. Então, deixo um aviso: O medo não existe.

Boa sorte!