Número de mortos em Brumadinho chega a 60

Região atingida pelo rompimento da barragem de Brumadinho - MG. Foto: Isac Nóbrega/PR

Da Redação

Subiu para 60 o número de mortes confirmadas em decorrência do rompimento da barragem em Brumadinho (MG), na sexta-feira (25). O novo boletim foi divulgado por volta das 10h30 pelo Corpo de Bombeiros, que também reúne informações conjuntas da Defesa Civil, Polícias Militar e Civil.

Ao todo, 297 pessoas continuam desaparecidas, 192 foram resgatadas com vida e 19 corpos já foram identificados. Um ônibus foi encontrado ontem com corpos.

O coordenador da Defesa Civil de Minas, tenente-coronel Flávio Godinho, explicou que o número de desaparecidos aumentou, pois mais nomes foram incluídos na lista em relação a que foi divulgada pela manhã.

De acordo com o tenente Pedro Aihara, porta-voz dos bombeiros, as equipes elencaram 14 áreas prioritárias de busca, entre elas locais onde estão soterrados uma locomotiva, uma pousada, ônibus e o refeitório da mineradora Vale, onde a maioria dos funcionários estava na hora do rompimento da barragem.

Os bombeiros trabalham com a possibilidade de encontrar sobreviventes. Mas o porta-voz admite que alguns corpos poderão não ser localizados.

As equipes interromperam as buscas ontem após alerta de que uma segunda barragem, neste caso de água, corria risco de rompimento por causa do aumento do nível. As sirenes foram acionadas de madrugada pela Vale e moradores orientados a deixar suas casas. No meio da tarde, a Defesa Civil descartou o risco e os bombeiros retomaram as buscas.

Um grupo de 129 militares de Israel especialistas no socorro de pessoas soterradas chegou na noite deste domingo (28) ao Brasil. A operação foi coordenada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, com apoio de Yossi Shelley, embaixador de Israel no Brasil.

Entre os equipamentos trazidos pelos israelenses, estão alguns de engenharia que serão usados para avaliar a situação das outras barragens do complexo da Vale em Brumadinho. O objetivo é verificar o risco das instalações. Há ainda um equipamento que detecta variações de temperatura e poderá ser usado na busca por vítimas. A equipe é formada por médicos, socorristas e especialistas em resgate.

Imagem: Isac Nóbrega/PR – Fotos Públicas