Nova música da guarulhense Aline Rissuto aborda sentimentos como razão e emoção

Mente e corpo, emoção e razão, sentimento e medo são alguns dos conflitos humanos abordados em “Desvolta”, nova música da cantora guarulhense Aline Rissuto, que chega às plataformas de streaming nesta sexta-feira, 14. A música, que integra a trilogia do EP “Conecte-se”, é o segundo single lançado nesse período de pandemia. O single já está disponível nas plataformas de streaming em https://tratore.ffm.to/desvolta.

Ao longo de todo o processo de criação, que coincidiu com o período de distanciamento social, Aline adentrou madrugadas criando músicas, letras e arranjos. Satisfeita com o resultado e com a devolutiva que vem recebendo desde o lançamento da canção “Exílo” (https://guarulhoscultural.com.br/agendacultural/aline-rissuto-lanca-o-single-exilio/), no início de abril, Aline destaca a valiosa participação de Franklin Bonafé (cello), Erick Pontes (guitarra), Frank Carvalho (baixo) e Lukas Felli (bateria), músicos que emprestaram brilhantismo às canções.

Além das canções “Exílio” e “Desvolta”, o novo projeto de Aline Rissuto é composto também pela ainda inédita “Conecte-se”, músicas compostas durante a quarentena em 2020. Os videoclipes do EP, gravados na Fazenda Dummont, em Bragança Paulista/SP, dirigidos e captados por Anderson Moura, também ficarão disponíveis no canal oficial da cantora no YouTube, no endereço: https://www.youtube.com/c/AlineRissuto. Para acompanhar os lançamentos, acesse o perfil da artista no Spotify https://open.spotify.com/artist/3q4aeaBrYOrzIi7TxSnwBG?si=m1EhtD8uT9yQ-jO2U4VB-g.

A completude entre som e letra

Nesse intenso período de criação das canções, Aline percebeu o quanto a música lhe fazia companhia. “Estive sozinha na maior parte do tempo e aproveitei esse momento de introspecção para imergir nesse universo que me encanta, me traz equilíbrio emocional e muito prazer”. A cantora explica que foi nessa “brincadeira” um tanto séria de praticar e criar canções, de fazer arranjos, letras e de experimentar sons dos instrumentos que nasceu “Desvolta”.

“O título da canção desperta curiosidade no ouvinte, é um pedido ao coração, ilustrando o conflito mútuo entre emoção e razão. Esse é aquele momento em que a mente e corpo, emoção e razão, sentimento e medo entram em conflito e a razão pede para o coração voltar ao estado ‘normal’ e não se entregar de forma frenética às emoções. Mas, a emoção vence a razão, e o coração tem a permissão de seguir, e então ‘desvolta’ do estado ‘normal’, se entregando às emoções e sentimentos”. Para Aline, “Desvolta” é um pedido ao coração para que siga firme diante de suas emoções.

O baterista Lukas Felli lembra da criação dos climas, profundidade e o pulso do arranjo, para que som e letra se completassem. “A Aline queria algo com uma atmosfera etérea em determinados trechos da música, algo que levasse o ouvinte a uma dimensão diferente. A música tem um caráter de chão, mas num dado momento, te arremessa para algo intangível”, observa Felli.

Lukas ficou responsável por elaborar e distribuir os primeiros acordes, criando arranjos melódicos que pudessem ser utilizados também na guitarra, pensando em timbres mais atmosféricos como Shimmer e Reverbs grandiosos.

“Gravamos toda essa pré-produção e levei o trabalho para casa, onde passei a pensar na bateria, que além do timbre teria que ter uma linha específica e marcante. Gravei algumas ideias com grooves não clichês fugindo do comum, coloquei acentuações de caixas e chimbal que tiram um pouco a sensação de marcação do tempo, pois mesmo nas partes mais chão da música, queria algo deslocado e consegui”, vibra Lukas, comentando também sobre linha de baixo do Frank Carvalho, que ficou condizente ao peso necessário da música. Após a gravação, Lukas conta que ele e Aline decidiram qual das versões seria a melhor.

Por fim, eles chamaram o guitarrista Erick Pontes, exímio músico conhecido por seu trabalho. “Erick trata suas linhas de guitarra de forma preciosa, sempre preocupado em soar da melhor forma possível, e foi exatamente o que ele nos entregou”, comemora Lukas.

Para Aline, a conexão com músicos desse porte e genialidade resultaram em um trabalho altamente satisfatório. “Lukas está comigo desde o primeiro EP “Meu Ego”. Além de super parceiro e amigo, é um excelente baterista, verdadeiro protagonista ao criar arranjos maravilhosos, logo vocês saberão do que estou falando”, brinca. Aline também destaca o incrível trabalho do contrabaixista e do guitarrista.  “Frank Carvalho e Erick Pontes simplesmente arrasaram na interpretação e sonoridade. Estou muito feliz com o resultado”, comemora a cantora.

Os arranjos das canções foram feitos por Aline e Rodrigo Hypollito (cellos) e Lukas Felli (“Desvolta”). A gravação, mixagem e masterização é assinada por Alexandre Fontanetti (Space Blues).

Carreira

O primeiro trabalho de Aline Rissuto foi lançado em 2017, o EP “Meu Ego”. Em 2019 a cantora lançou o disco “Passo”. A cantora já se apresentou em diversos festivais de música pelo país, com um repertório de releituras de músicas consagradas da música brasileira e trabalhos autorais.

Em recente entrevista para a Guarulhos Cultural, Aline fala da figura da mulher no mercado fonográfico, formação e carreira, revelando um perfil empreendedor, extremamente engajado em ampliar a participação feminina no cenário musical. Para ler a entrevista, clique aqui.

Aline tem também uma carreira sólida na área da educação musical. Após formar-se bacharel, ingressou no curso de pós-graduação em educação musical, período em que participou de diversos cursos com importantes educadores de níveis nacional e internacional. Começou então a dar palestras, workshops e treinamentos para educadores de diversas partes do Brasil.

Para saber mais sobre Aline Rissuto, ver fotos e vídeos de seu trabalho, acesse https://www.alinerissuto.com.br/