Moradores do Jardim Paraíso e do Soberana sofrem com o aparecimento constante de escorpiões

Mayara Nascimento

A onda de calor favorece o aparecimento de escorpiões nas áreas urbanas, principalmente próximo de terrenos baldios, lixos e entulhos. No Jardim Paraíso e no Soberana já foram registrados diversos casos nos últimos dois anos. Desde o início do mês o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) já capturou 26 escorpiões em diversos bairros da cidade.

Os moradores do condomínio Nova América, no Jardim Paraíso, já registraram caso de aparecimento de escorpião dentro de um apartamento.

Rosana Ferreira contou que o caso já ocorreu duas vezes em seu apartamento, uma em outubro de 2017 e outra em dezembro de 2018. “O problema é antigo e me preocupa porque tenho uma filha de quatro anos. Fiz dedetização duas vezes e tomo diversas medidas de precaução. Afasto os móveis da parede, fecho sempre o ralo, tenho telas nas janelas, mas parece que não adianta”, contou. Rosana mora no térreo e alegou que moradores dos andares mais altos também já passaram pelo mesmo problema.

O local é cercado por áreas de risco, já que de um lado está o cemitério Primavera II e de outro fica um terreno particular abandonado, com muito mato. “O condomínio é limpo, nós cuidamos bem das áreas internas, mas nada adianta se nossos vizinhos não limpam”, contou Eduardo Peragine, síndico há 10 anos.

Peragine contou ainda que solicitou o amparo do CCZ diversas vezes, mas os agentes afirmaram que não há o fazer devido o foco dos escorpiões serem nos terrenos ao lado.

A situação se repete no bairro Soberana. Um terreno abandonado que faz fundos para ao menos sete ruas é um dos focos dos escorpiões que estão invadindo as casas dos moradores.

Willian John de Freitas mora há 27 anos na rua Caxambu, que faz fundos com o terreno. Nos últimos dois anos Freitas percebeu a presença frequente dos escorpiões. No final de dezembro flagrou um perto da cama de seu filho de dois anos. “A preocupação com meu filho é enorme. Já procurei informações na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e disseram que não possuem soro. Até sair de carro com uma criança para procurar atendimento longe, pode ser tarde demais”, afirmou.

Prefeitura orienta moradores e se prepara para atendimentos

A prefeitura informou que o Hospital Municipal de Urgências (HMU) é o hospital de referência na cidade para este tipo de atendimento. Desde o início do ano até o momento foram 10 atendimentos de pessoas picadas por escorpiões.

Ao longo do ano passado, 50 animais foram recolhidos pelo CCZ, além de outros 117 encaminhados pela população para identificação.

A Prefeitura realiza diversas ações de orientação e prevenção. As ações voltadas para prevenção são direcionadas para os casos de acidentes e ocorrências registradas. Ações de controle com uso de inseticidas são pontuais e dependem da espécie encontrada.

Em terrenos baldios e áreas verdes a pulverização de inseticidas não possui eficácia porque os escorpiões ficam abrigados na terra junto com entulhos e material descartado. O uso de inseticidas em residências e em áreas impermeabilizadas deve ser criterioso, pois seu efeito pode ocasionar o desalojamento de escorpiões e sua dispersão no ambiente.

Ao encontrar um escorpião, a população deve entrar em contato com o CCZ por meio do telefone 2436-3666 para registrar a ocorrência e receber as orientações preventivas.

Imagens: Divulgação