Moradores do Inocoop sofrem com fumaça proveniente das turfas do Baquirivu

Os moradores do Inocoop estão sofrendo com a fumaça proveniente das turfas do Baquirivu. Segundo eles a situação se arrasta desde 2011, mas em tempos de calor se torna insustentável.

“Um cheiro fortíssimo de fumaça que entra na garganta, olhos e nariz. Os moradores estão tendo sérios problemas com respiração, asma e bronquite. Fechamos toda a casa e esse maldito cheiro invade assim mesmo. Não sabemos mais o que fazer. Nem dormir conseguimos por causa desse cheiro”, afirmou Shirlei Matar.

Medidas paliativas foram adotadas no passado, porém o problema não foi resolvido. “Nesse momento, está bem pior. Cheiro horrível, empesteia toda a casa. Estou com a minha boca com puro gosto horrível, roupas no varal ficam com cheiro também, está atacando sinusite, rinite, bronquite, asma das pessoas, principalmente dos idosos. Nesse calor não podemos ficar com a janela aberta”, afirmou Catherine, também moradora da região.

O local trata-se de uma área particular. Segundo os moradores, hoje houve uma reunião com o proprietário do terreno, a prefeitura e representantes da Associação dos Moradores Inocoop onde o proprietário tomou conhecimento da real situação, sendo, inclusive, notificado pela prefeitura de que ele é responsável pela solução. No encontro, o proprietário se comprometeu a adotar ações paliativas.

Em nota, a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec) e o Corpo de Bombeiros já estiveram no local e constataram que se trata realmente de turfas, que podem queimar lentamente em épocas secas e quentes e é o tipo de queima muito difícil de ser totalmente extinta. Com o tempo chuvoso deste final de semana e com a chegada da primavera, que é uma época chuvosa, o problema deve ser resolvido naturalmente. Vale lembrar que a turfa se trata de uma camada de material vegetal parcialmente decomposto no solo que pode queimar lentamente em épocas secas e quentes. É formado por grupos de musgos, raízes, árvores, juncos etc. A Secretaria de Meio Ambiente também está acompanhando o caso e solicitando a intervenção para a limpeza e manutenção dos terrenos particulares.