Menos de 10% dos estrangeiros que chegam à Guarulhos são deportados

Por Pedro Lacerda

O número de refugiados que se deslocam ao Brasil, vítimas de conflitos ideológicos, partidários e até mesmo religiosos que ocorrem em seus países de origem, são exorbitantes quando se tratam da gravidade de suas situações, e em Guarulhos, estes números são ainda mais acolhedores.

Segundos dados da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (SDAS) o Posto Avançado de Atendimento Humanizado aos Migrantes (PAAHM) atendeu somente no primeiro quadrimestre deste ano 273 atendimentos, dos quais 23 pessoas (10%) foram deportadas. No caso de pedido de refúgio, o solicitante é encaminhado à Caritas, entidade humanitária na capital paulista que possui parceria com a ONU e estrutura para o acompanhamento deste migrante, que em alguns casos é feito pela própria secretaria através do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) para ações preventivas ou no CREA, em situações em que ocorrem violações de direito.

Atualmente há jovens imigrantes acolhidos institucionalmente nos serviços da SDAS, e que são acompanhados pela Vara da Infância e Juventude. Dados da Polícia Federal mostram um aumento no número de solicitações de refugiados vindos da Venezuela ao município, de 43 no de 2013 para 6.831 de janeiro a abril deste ano.

Foto: Delfim Martins/Portal da Copa