Ítalo Ferreira é ouro no surf nas olimpíadas de Tóquio

Na madrugada desta terça-feira (27), o surfista brasileiro Ítalo Ferreira fez história no surf e no esporte mundial, tornando-se o primeiro campeão olímpico da modalidade e conquistando o primeiro ouro para o Brasil nos jogos olímpicos de Tóquio.
Ítalo enfrentou na final o japonês Kanoa Igarashi, que em decisão polêmica dos juízes, eliminou Gabriel Medina na semifinal.
O filho de Baía Formosa, no Rio Grande do Norte, que começou a pegar onda usando a tampa de uma caixa de isopor onde seu pai armazenava o peixe que vendia para o sustento da família, não tomou conhecimento do japonês na bateria final e passeou no mar de Tóquio, terminando a bateria e a final com nota 15,14, contra 6,60 de Igarashi, deixando pra lá de clara a superioridade do brasileiro.
O fato curioso da final é que com um minuto e meio de prova, o brasileiro tentou uma manobra que acabou com sua prancha quebrada
ao meio e precisando ser trocada. Insatisfeito com a escolhida para a troca, ele utilizou uma terceira prancha, e enquanto se preparava, ouvia orientações do treinador.
Mas este não foi o primeiro susto de Ítalo Ferreira com seu instrumento de trabalho. Quando chegou a Tóquio para competir, o brasileiro recebeu a notícia de que suas pranchas haviam sido extraviadas devido a um problema de conexão no aeroporto de Paris.
Com tamanha superioridade na final e com o japonês sem poder de reação, no minuto final da bateria, Ítalo já comemorava a conquista e desfilava sobre a prancha em direção à praia. Uma festa merecida e emocionante!
“Eu vim com uma frase para o Japão: “diz amém que o ouro vem”. Treinei muito nos últimos meses e Deus realizou o meu sonho, de me dar a oportunidade de fazer o que eu amo. Ajudar as pessoas e a minha família. Foi entrar na água, sem pressão, e eu consegui o que eu queria”, destacou Ítalo, não contendo a emoção pela conquista.
“Eu queria que minha avó estivesse viva para ver o que eu me tornei e consegui fazer, pelos meus pais e pelas pessoas que estão ao meu redor. Almejei bastante e sonhei. A frase que falei está ao lado da minha cama. Todos os dias eu orei às 3h da manhã, pedindo a Deus que realizasse meu sonho”, acrescentou o agora campeão olímpico.