Investigado por suposta extorsão, Zeitune é afastado de cooperativa

Por Rômulo Magalhães

Investigado por suposta extorsão a empresário, o vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede) foi afastado da Sicoob, cooperativa de crédito a qual era vice-presidente.

A cooperativa informou que já realizou a comunicação do fato ao Banco Central do Brasil e está à disposição da Justiça para contribuir na elucidação do caso.

“Além disso, o dirigente da cooperativa citado na investigação está afastado de suas atribuições na instituição”, diz nota oficial. “O Sicoob reafirma o compromisso com a qualidade do serviço para os seus cooperados”, completa.

No áudio, que resultou na abertura da investigação, a cooperativa é citada pelo suposto interlocutor que teria pedido R$ 12 milhões a empresário para financiamento da campanha de Zeitune a governador do Estado e de Marina Silva (Rede) a presidência da República.

“Você sabe que ele (Zeitune) é vice-presidente da Sicredi (referindo-se a Sicoob) né? Você sabe que cooperativa de crédito é melhor para colocar dinheiro né? Porque quando o Fisco vai na cooperativa, ele não vai no seu CPF, ele vai no CPF da cooperativa”, diz trechos do áudio.

A reportagem ligou diversas vezes para o vice-prefeito Alexandre Zeitune para ouvir sua versão sobre o afastamento, mas não foi atendida.

Convocação de interlocutor – Na última reunião Comissão Especial de Inquérito (CEI), instaurada na Câmara Municipal para investigar o caso, ficou decidido a convocação do interlocutor. Ele foi identificado como Marco Antônio Ferreira. Ele deverá prestar depoimento a CEI na próxima terça (20), às 9h, na Câmara Municipal.

Perícia – De acordo com o presidente do Legislativo, vereador Eduardo Soltur (PSD), a Câmara Municipal deve divulgar hoje o nome do perito contratado para analisar os áudios.

Foto: IEA/USP