Instituto Adolfo Lutz confirma mais dois óbitos por febre amarela silvestre em Guarulhos

Guarulhos registrou mais dois óbitos por febre amarela silvestre de moradores da cidade que estavam sob investigação. Os resultados dos últimos exames confirmando a causa mortis foram encaminhados pelo Instituto Adolfo Lutz à Secretaria Municipal de Saúde na semana passada. Com isso, sobe para 24 o número de mortes em decorrência da doença, dos 50 casos confirmados até o momento no município.

O primeiro caso é de um rapaz de 21 anos, morador do bairro do Pimentas, que contraiu a doença em visita a um sítio em Guararema entre os dias 16 e 18 de fevereiro. A vítima começou a sentir os primeiros sintomas no dia 2 de março e foi internada no Hospital Carlos Chagas no dia seguinte. No dia 10 foi transferido para o Hospital Lefort, em São Paulo, onde foi realizado transplante de fígado. No dia 17 de março, o paciente não resistiu e foi a óbito.

A outra ocorrência é de um homem de 50 anos, morador do Taboão, que começou a sentir os primeiros sintomas no dia 19 de fevereiro. No entanto, procurou por atendimento médico somente no dia 6 de março, no Hospital Geral de Guarulhos, onde foi a óbito na mesma data. Em visita domiciliar realizada pela equipe da Unidade Básica de Saúde da regional, UBS Acácio, a família não foi encontrada. Vizinhos relataram que na casa, com características de abandono, residia um casal que por vezes passava temporadas em um sítio, o qual não souberam especificar o local. Portanto, em discussão com o GVE (Grupo de Vigilância Epidemiológica) de São Paulo, o caso foi encerrado como Local Provável de Infecção (LPI) indefinido.

Desde outubro passado até a última atualização, realizada no dia 29 de março, 867.178 pessoas foram imunizadas contra a febre amarela em Guarulhos.

Foto: Divulgação